0

CE: 6 mil pessoas protestam por segurança e vaiam governador

13 jun 2013
20h34
atualizado em 14/6/2013 às 11h06
  • separator
  • 0
  • comentários

Cerca de 6 mil pessoas protestaram na tarde desta quinta-feira pedindo mais segurança pública em Fortaleza. O protesto pacífico foi organizado pelo movimento "Fortaleza Apavorada", criado no Facebook, e acontece a seis dias do início da Copa das Confederações, onde a Seleção Brasileira joga.

Cerca de 6 mil pessoas foram às ruas protestar contra a insegurança em Fortaleza
Cerca de 6 mil pessoas foram às ruas protestar contra a insegurança em Fortaleza
Foto: Arituza Timbó / Especial para Terra

Crianças e idosos também participaram do movimento, que teve direito a apitaço em frente ao Palácio da Abolição, sede do governo do Estado, no bairro Meireles, o mais nobre da capital. "Conseguimos o objetivo de reunir as pessoas, sermos vistos pela cidade e pelo governo e prefeitura sobre o problema da segurança pública", comemorou a organizadora do evento, Maria Posfe.

Manifestação teve apitaço em frente ao Palácio da Abolição, sede do governo do Estado
Manifestação teve apitaço em frente ao Palácio da Abolição, sede do governo do Estado
Foto: Arituza Timbó / Especial para Terra

"Senhor governador, segurança, por favor!" era a frase mais vista nos cartazes dos manifestantes. Tais palavras também foram ditas pelos participantes, que até vaiaram o governador em frente ao Palácio. O protesto também teve gritos como "futebol não, eu quero proteção", "violência não, queremos solução" e "na Copa tudo é lindo e o povo se iludindo".

Seguindo um trio elétrico, o grupo seguiu caminhando pela avenida Barão de Studart. A manifestação seguiu até a noite, na Praça dos Estressados, na Avenida Beira Mar.

Na manhã desta quinta-feira, o secretário de Segurança Pública, Francisco Bezerra, criticou o nome dado ao grupo. "Por que não 'Fortaleza pela Paz'? Por que não 'Queremos a Paz'. Porque não ‘Fortaleza Feliz’, como ocorre em centenas de movimentos pelo mundo?" Mesmo assim, o Estado dará "proteção efetiva e apoio" ao movimento, disse Bezerra.

A popularidade do movimento se deu, sobretudo, no dia 6 de junho, quando a página no Facebook foi retirada do ar depois te ter alcançado mais de 20 mil fãs. Um novo grupo com o mesmo nome foi criado e em pouco mais de 24 horas superou o número de 28 mil fãs e novamente foi retirada da rede social. No dia 7 de junho, o Ministério Público Federal iniciou investigação sobre as exclusões da página, que foi recriada e mantém-se atualmente com 39 mil fãs.

Colaborou com esta notícia o internauta Junior Azevedo, de Fortaleza (CE), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade