0

"Ação irresponsável e criminosa", diz Beltrame sobre tiroteio em UPP no Rio

26 mai 2013
11h20
atualizado às 11h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Policiais da UPP e do Bope fazem buscas na região para encontrar responsáveis </p>
Policiais da UPP e do Bope fazem buscas na região para encontrar responsáveis
Foto: Marcus Pinto / Terra

A corrida de rua Desafio da Paz, na vila Cruzeiro, dentro do complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, começou com uma hora de atraso neste domingo por causa de tiroteios registrados a partir das 7h30. O secretário estadual de secretário de segurança, José Mariano Beltrame, foi um dos participantes. Ao final do evento, organizado pelo grupo Afroreggae, ele demonstrou irritação. "Infelizmente foi uma ação irresponsável e criminosa, com resquícios de admiradores de uma facção que reinou absoluta aqui por 30 anos, trazendo a banalização da violência. Hoje a polícia e o Estado estão aqui", afirmou ao final do percurso. 

Não houve feridos. O secretário explicou que demorou a começar a corrida porque se juntou ao patrulhamento que foi montado para tentar buscar os responsáveis pelos tiroteios. É óbvio que foi ação de um pessoal que mesmo enfraquecido acha que pode afastar a polícia daqui, mas não vamos sair", garantiu. Hoje à tarde, Beltrame irá se reunir com o comando da UPP do Complexo do Alemão para discutir o que houve. 

Questionado sobre a possibilidade do retorno do Batalhão de Operações Especiais (Bope) ao complexo, o secretário revelou que não gosta da ideia e prefere trabalhar com a inteligência. "É um população humilde e trabalhadora que merece a paz. Não tenho a ilusão de que isso vai acabar de um dia para o outro. Vivemos 30 anos de inércia do Estado e a paz se contrói aos poucos", salientou, revelando que decidiu correr mesmo depois do tiroteio porque acredita que a população ia gostar de ver o secretario correndo.

Segundo o coronel Paulo Henrique, coordenador das UPPs, o incidente está sendo investigado e provavelmente os tiros foram dados nos bairros Treze e Pedreira, na vila Cruzeiro, próximos ao local da largada. "No bairro Treze eles atiraram contra um conteiner da UPP. Foi uma tentativa de desestabilizar o evento", disse. Até agora ninguém foi preso, mas estão sendo feitas buscas pela região.

Apreensão entre participantes
Ao final da corrida foi organizada uma solenidade de premiação no Campo do Soldado, na Grota, também no complexo do Alemão. O clima de festa nem de perto lembrava os momentos de aflição passados pelos participantes momentos antes da largada. Assustadas, as pessoas correram e se abaixaram durante os tiros. "Esse negócio de pacificação é mentira. A gente ouviu muito tiro. Todo mundo se jogou no chão", contou Bruno Carvalho, um dos corredores. 

"Depois do estresse da largada foi tudo bem. O pessoal da comunidade estava muito feliz de ver a gente correr aqui, mas quase não consegui correr porque as pernas tremiam muito", revelou outra participante, Tatiane de Souza. "Depois que a corrida começou foi tudo em paz, mas quando começou o tiroteio o Bope rapidamente entrou em ação em busca dos criminosos", informou Paula Guimarães, que também correu o percurso de cinco quilômetros da prova. 

O complexo do Alemão ganhou uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em maio do ano passado.  

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade