2 eventos ao vivo

Petróleo que atingiu Nordeste é de outro país, diz Bolsonaro

7 out 2019
18h49
atualizado às 19h29
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que o governo brasileiro já sabe que o petróleo que atingiu as praias do Nordeste não é produzido ou vendido no Brasil, mas a investigação para determinar sua origem ainda está em curso.

An oil spill is seen on Praia do Paiva beach in Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco state, Brazil September 27, 2019. Picture taken September 27, 2019. REUTERS/Diego Nigro   NO RESALES. NO ARCHIVES
An oil spill is seen on Praia do Paiva beach in Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco state, Brazil September 27, 2019. Picture taken September 27, 2019. REUTERS/Diego Nigro NO RESALES. NO ARCHIVES
Foto: Reuters

Depois de uma reunião com as Forças Armadas e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que participou por videoconferência de Aracaju, para onde foi fazer um sobrevoo das regiões atingidas, Bolsonaro disse ainda que o petróleo "não parece vir de uma plataforma" e pode ser criminoso ou de algum navio afundado.

"Pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. É complexo, existe a possibilidade, temos no radar um país que pode ser da origem do petróleo e continuamos trabalhando para dar uma satisfação à sociedade e também colaborar na questão ambiental", disse o presidente.

Questionado sobre qual seria o país, não quis revelar e disse que a investigação continua.

Amazônia

Segundo o presidente, a reunião serviu também para dar um panorama da situação das queimadas na Amazônia e afirmou que a região deverá ter a menor média de queimadas para setembro desde o século passado e que isso foi uma resposta do governo ao Brasil e ao mundo.

Para Bolsonaro, as Forças Armadas atuaram no enfrentamento das queimadas na hora certa.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade