0

Paciente morre durante transferência após fogo em hospital

Mulher estava internada com diagnóstico de covid-19

27 out 2020
13h54
atualizado às 14h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um incêndio de grandes proporções atingiu nesta terça-feira o Hospital Geral de Bonsucesso, uma unidade de referência da zona norte do Rio de Janeiro, e uma paciente que estava internada com covid-19 morreu durante transferência para outra unidade, informaram autoridades.

Bombeiro combate incêndio em hospital no Rio de Janeiro
27/10/2020
REUTERS/Ricardo Moraes
Bombeiro combate incêndio em hospital no Rio de Janeiro 27/10/2020 REUTERS/Ricardo Moraes
Foto: Reuters

O Corpo de Bombeiros informou que o fogo foi controlado no início da tarde, mas no prédio que pegou fogo havia 25 pacientes em estado grave que foram levados para outras unidades. Segundo os bombeiros e o hospital, uma paciente de 42 anos que estava na UTI destinada a pacientes com Covid morreu durante a transferência.

O incêndio teria começado em um prédio onde estariam cerca de 200 pacientes. Segundo relatos, houve pânico e correria entre pacientes, parentes, funcionários e profissionais de saúde.

O local precisou ser esvaziado às pressas por conta das chamas e da forte coluna de fumaça.

"A situação está complicada. Tem pacientes críticos graves que foram levados para o estacionamento do hospital onde não tem como ligar equipamentos e monitores... Tem profissional passando mal, o prédio foi todo evacuado, mas a fumaça chega ao outro prédio", disse a técnica de enfermagem Tassiana Cardoso.

"Foi um pânico e um desespero danado, só pensava em salvar meu filho", disse Ana Diniz, que estava com o filho de apenas 4 dias de vida, nascido no hospital.

Bombeiros de ao menos cinco quartéis foram acionados para conter as chamas.

Segundo o secretário de Defesa Civil do Estado, Leandro Monteiro, a unidade atingida pelo incêndio já tinha sido notificada duas vezes e houve dois autos de infração do Corpo de Bombeiros.

"Nós estávamos num processo de interdição do hospital, mas é humanamente impossível interditar um hospital com 400 a 500 leitos", disse.

Veja também:

Fome em Porto Iguaçu: A situação é pior do que se vê nos vídeos
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade