2 eventos ao vivo

Congresso promulga adiamento das eleições municipais

Pleito vai ser realizado em novembro por causa da pandemia do novo coronavírus

2 jul 2020
11h09
atualizado às 11h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Congresso Nacional promulgou, em solenidade na manhã desta quinta-feira, a emenda constitucional que adiou a realização das eleições municipais de outubro para novembro devido à pandemia do novo coronavírus.

Urnas eletrônicas usadas na eleição de 2018
22/10/2018
REUTERS/Rodolfo Buhrer
Urnas eletrônicas usadas na eleição de 2018 22/10/2018 REUTERS/Rodolfo Buhrer
Foto: Reuters

A emenda --que foi aprovada na véspera pela Câmara dos Deputados em última votação-- transfere, em caráter excepcional, o pleito para a escolha de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos dias 4 e 25 de outubro para os dias 15 de novembro, em primeiro turno, e 29 de novembro, em segundo turno.

O texto também abre a possibilidade de reavaliação das datas em Estados e municípios que não tiverem condições sanitárias de realizar as eleições.

Logo após a aprovação da emenda, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, comemorou a aprovação da matéria pelos parlamentares, destacando que os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), "entenderam prontamente e conseguiram em tempo recorde aprovar uma emenda constitucional que era indispensável para esse adiamento".

"Acho que nós estamos fazendo a conciliação possível e necessária entre a proteção da saúde da população e a realização desse rito democrático imprescindível que é a concretização das eleições", ressaltou Barroso, em texto distribuído pela assessoria do TSE. O presidente do TSE participou da solenidade de promulgação ao lado de Alcolumbre.

Veja também:

Lava Jato prende secretário de Transportes de SP por supostos desvios na Saúde
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade