0

SP: condutores de vans escolares protestam contra cadeirinha

Movimento defende que os veículos usados no transporte escolar atualmente já são seguros para as crianças

17 jul 2015
11h54
atualizado às 12h14
  • separator
  • comentários

Condutores de vans escolares protestaram em São Paulo, na manhã desta sexta-feira (17), contra a padronização do transporte escolar. O alvo principal dos manifestantes é a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que exige o uso de cadeirinhas para crianças de até sete anos e meio no transporte escolar. Em carreata, os veículos partiram de vários pontos da cidade em direção à Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu.

Carreata passa pela rua Domingos de Morais, na Vila Mariana
Carreata passa pela rua Domingos de Morais, na Vila Mariana
Foto: Osvaldo Pinto Lucas / vc repórter


De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 8h, as vans ocuparam duas faixas da avenida Interlagos, na zona sul da capital, e duas pistas centrais da rua Melo Freire, na zona leste. Os veículos se concentraram também na avenida Aricanduva, na zona leste, e na avenida Raimundo Pereira de Magalhães, na região de Pirituba, sem congestionar o trânsito.

Siga o vc repórter no Twitter

Jorge Formiga, líder da Associação Regional de Transporte Escolar de São Paulo (Artesul), afirmou que outros grupos estão vindo das cidades de Osasco e Guarulhos. Ele estima que cerca de 3 mil vans participem das carreatas ao longo do dia.

Formiga defende que os veículos usados no transporte escolar atualmente já são seguros para as crianças. “Nossos carros são transformados para transportar crianças. Nossos bancos são menores, o que permite a acomodação apropriada das crianças,” declarou. Segundo ele, os condutores entendem que a cadeirinha é necessária apenas para menores de até um ano e meio.

Condutores de vans escolares também protestaram em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo
Condutores de vans escolares também protestaram em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo
Foto: Júlio César Casáquia / vc repórter


Caso a obrigatoriedade da cadeirinha passe a valer, explica Formiga, o aumento de custo terá de ser repassado aos pais. “A cadeirinha vai reduzir por volta de 40% da capacidade de transporte, o que diminui o número de crianças em cada van. Isso vai subir o valor da mensalidade, porque o condutor tem que manter a mensalidade,” disse.

Resolução do Contran

A resolução do Contran entra em vigor em fevereiro de 2016. A decisão não se aplica ao transporte coletivo, aos de aluguel, ao transporte autônomo de passageiro, como táxis, e aos demais veículos com peso bruto total superior a 3,5 toneladas. Para veículos de passeio, a regra vale desde 2010.

Em nota, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) ressaltou a importância da medida para garantir segurança às crianças. O órgão disse que procura "oferecer um trânsito mais seguro, que é direito de todo cidadão brasileiro, especialmente das crianças". Para que os transportadores escolares estejam adequados às novas exigências, o Denatran iniciou comversas com entidades representativas e também com as das indústrias automotivas, como Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

O órgão afirmou ainda que as adequações necessárias serão feitas em sintonia com todos os agentes envolvidos. O departamento destacou dados Ministério da Saúde que revelam uma queda de 23% no número de mortes de crianças no trânsito após a entrada em vigor da lei que obriga o transporte de menores em cadeirinhas nos veículos particulares.

Colaboraram com esta notícia os leitores Osvaldo Pinto Lucas, de São Paulo (SP), e Júlio César Casáquia, de Ribeirão Preto (SP), que participaram do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui ou envie pelo aplicativo WhatsApp, disponível para smartphones, para o número +55 11 97493.4521.

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade