0

Clínicas privadas poderão comprar vacina indiana após registro na Anvisa, diz associação

13 jan 2021
13h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As clínicas privadas de vacinação no Brasil poderão comprar a vacina contra Covid-19 Covaxin, da indiana Bharat, assim o imunizante obtiver registro definitivo junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), disse em comunicado o presidente da associação que representa o setor.

Médico com dose da Covaxin em Ahmedabad, na Índia
26/11/2020
REUTERS/Amit Dave
Médico com dose da Covaxin em Ahmedabad, na Índia 26/11/2020 REUTERS/Amit Dave
Foto: Reuters

Geraldo Barbosa esteve na Índia na semana passada para visitar as instalações da Bharat, cuja vacina contra o coronavírus passa por testes clínicos de Fase 3 na Índia e obteve autorização para uso emergencial naquele país.

"Findado o processo de registro definitivo da Covaxin no Brasil, as clínicas particulares poderão adquirir doses para ofertar ao seu público", disse Barbosa, de acordo com nota da Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC).

Ele negou que a compra de vacinas pelo setor privado possa atrapalhar na aquisição de doses pelo setor público para serem usadas no Programa Nacional de Imunização contra a Covid-19.

"Se essas vacinas não vierem para o mercado privado brasileiro, não virão nem para o Brasil. Vão para outro país", afirmou. "A aquisição depende do fim dos trâmites legais junto aos órgãos reguladores brasileiros."

Na véspera, a Bharat afirmou em comunicado que assinou acordo de fornecimento de doses da Covaxin para a empresa brasileira Precisa Medicamentos e que a prioridade de abastecimento será dada ao setor público, por meio de acordo com o governo federal.

A Bharat ofereceu sua vacina ao Ministério da Saúde, mas nenhum acordo foi fechado até o momento.

Veja também:

Trio é detido pela PM após furtar fios de telefonia, no Floresta
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade