3 eventos ao vivo

Únicos parques abertos no fim de semana, Zoo e Jd. Botânico têm fila e aglomeração na entrada

Unidades estaduais são as únicas da capital que foram reabertas para pedestres aos sábados e domingos; mesmo com marcação no chão, público não respeitou distanciamento social na fila

25 jul 2020
16h11
atualizado às 17h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

SÃO PAULO - Únicos parques da capital paulista reabertos para pedestres também nos fins de semana, o Zoológico e o Jardim Botânico de São Paulo registraram filas e aglomerações de usuários em suas entradas na manhã e tarde deste sábado, 25.

Nem todos os frequentadores respeitavam o distanciamento social na fila e, embora a maioria usasse máscara, alguns estavam com o item cobrindo apenas o queixo.

Mesmo no Zoológico, onde havia marcações no chão indicando a necessidade de distanciamento na fila, a norma não era cumprida porque havia grupos grandes de familiares ou amigos - muitos com crianças ou carrinhos de bebê - que acabavam ficando próximos dos grupos seguintes.

Este é o segundo fim de semana de funcionamento das duas unidades desde que elas foram reabertas, no último dia 13 de julho. Os parques estavam fechados desde o final de março, quando o Estado de São Paulo entrou em quarentena. Outros parques estaduais e 70 unidades municipais foram reabertos na mesma semana, mas estão funcionando apenas em dias úteis.

Somente três parques na cidade estão recebendo público também aos sábados e domingos: além do Zoológico e do Jardim Botânico, o Zoo Safári também está aberto, mas a visitação só pode ser feita em carros particulares - o serviço de vans está suspenso. As três unidades estão funcionando de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h.

A decisão da Prefeitura de não reabrir ainda os parques municipais aos finais de semana foi justamente temendo aglomerações, já que são esses dias que reúnem o maior número de usuários. No caso dos três parques estaduais reabertos aos sábados e domingos, a medida adotada pelo governo estadual para evitar aglomerações foi limitar a venda de ingressos das unidades a 50% da capacidade - no caso do Zoológico, isso representa 6,5 mil visitantes diários.

Por enquanto, apenas a área de visitação aberta desses parques pode ser utilizada. Os espaços fechados, como exposições educativas, continuarão sem receber visitantes. É obrigatório o uso de máscaras nas áreas comuns.

Na data de anúncio da reabertura dos parques, a Secretaria de Infraestrutura e de Meio Ambiente e a direção do Zoológico divulgaram algumas medidas que passariam a ser adotadas para diminuir o risco de contágio dentro dos espaços, como medição da temperatura dos usuários na entrada dos parques, desinfecção dos solados dos calçados nas entradas, aumento da frequência de limpeza de sanitários e outros espaços comuns e instalação de totens de álcool gel com acionamento por pedal.

Questionados sobre a aglomeração na entrada, o Zoo e o Jardim Botânico informaram, em nota, que reabriram com uma série de protocolos de segurança e operando com 50% da capacidade.

O Zoológico informou que, dentro do espaço, "há monitores, cartazes e totens com as orientações para que não ocorram aglomerações". Disse ainda que dá orientações também na área externa, mas reforçou "que é fundamental o auxílio da população para que respeite as medidas preventivas determinadas pelo comitê de contingência".

O Zoo diz não ter ainda o balanço do número de frequentadores deste sábado, mas informou que, no último fim de semana, a média diária de visitantes ficou em 3,1 mil. Durante a semana, são cerca de 350 usuários por dia.

O Jardim Botânico diz também ter adotado as medidas de segurança para reabertura. Afirmou ter recebido média de 270 visitantes por dia durante a semana e 800 pessoas no último fim de semana. Antes da pandemia, a média era de 500 usuários em dias úteis e 5 mil aos sábados e domingos.

Veja também:

Por apoio à CPMF, Guedes vai propor cortar à metade tributos sobre salários
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade