0

RS: Fortunati acionará o MP para investigar dano à prefeitura em protesto

Na noite de quarta-feira, manifestação contra o aumento da tarifa do ônibus terminou em confronto com a PM na prefeitura de Porto Alegre

28 mar 2013
15h48
atualizado às 16h03
  • separator
  • comentários

O prefeito de Porto Alegre (RS), José Fortunati (PDT), anunciou nesta quinta-feira que o município apresentará notícia-crime ao Ministério Público para investigar os danos ao patrimônio público, histórico e cultural provocado nos protestos realizados na noite de quarta-feira em frente à sede da prefeitura. Na ação, manifestantes que criticavam o aumento do valor das passagens de ônibus entraram em confronto com a Guarda Municipal e a Tropa de Choque da Brigada Militar (a Polícia Militar gaúcha), resultando em um manifestante ferido e outro preso.

Prefeito de Porto Alegre se disse indignado com protestos e conclamou população para evitar novos atos de vandalismo
Prefeito de Porto Alegre se disse indignado com protestos e conclamou população para evitar novos atos de vandalismo
Foto: Ricardo Giusti/PMPA / Divulgação

Segundo o relato de testemunhas, os manifestantes tentaram forçar a entrada no prédio e foram impedidas pela polícia, que reagiu com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. O secretário municipal de Coordenação Política e Governança Local, Cézar Busatto, tentou falar com os manifestantes, mas foi agredido e atingido com tinta. Durante o tumulto, foram quebradas várias janelas do prédio. Duas motocicletas e uma viatura da Guarda Municipal foram danificadas. Um manifestante ficou ferido e teve de ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

"Nós não iremos ficar calados porque o que aconteceu ontem é inadmissível. Venho manifestar a nossa indignação a um ato de selvageria que se contrapõe a qualquer convivência democrática", afirmou Fortunati nesta quinta-feira, em entrevista coletiva, classificando a manifestação como um "ato de vandalismo" e um "atentado ao Estado Democrático de Direito". Ainda segundo o prefeito, também serão denunciadas as agressões físicas a Busatto e a servidores da prefeitura.

Durante entrevista à imprensa, Fortunati fez um apelo aos "cidadãos de bem" para que evitem novas manifestações como a realizada na noite de quarta-feira. "Estamos conclamando o cidadão de bem para que repudie este ato, que não é contra o prefeito. É um ato contra a cidade, contra a cidadania. Se a sociedade não se indignar com este tipo de ação, a violência não terá fim."

A Equipe do Patrimônio Histórico e Cultural (Epahc) iniciou nesta quinta-feira o levantamento dos danos causados ao patrimônio público. Além da denúncia ao MP, a ocorrência foi registrada na Polícia Civil, para que os agressores e os líderes dos manifestantes sejam responsabilizados. "A ação é movida por três frentes: dano ao patrimônio público, dano ao patrimônio histórico e cultural e dano físico. Além disso, é também uma quebra de regra do bom convívio entre as pessoas. Este ato causou um prejuízo material e moral a Porto Alegre", disse o procurador-geral do Município, João Batista Linck Figueira, que entregará a notícia-crime ao procurador-geral do Estado, Eduardo de Lima Veiga, na tarde de hoje.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade