0

Prefeitura resgata animais de estimação em área alagada de Porto Alegre

1 set 2013
12h22
atualizado às 12h23
  • separator
  • comentários

A prefeitura de Porto Alegre realizou neste sábado um mutirão para resgatar animais na área afetada pelo alagamento provocado pelo rompimento de um dique no bairro Sarandi, na zona norte da cidade. Cinco veterinários e manejadores da Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) resgataram 48 cães e quatro gatos de estimação que estavam em áreas de risco nas vilas Asa Branca e Elizabeth, pertencentes às famílias que estão abrigadas em um galpão e na Escola Municipal Liberato Vieira da Cunha.

Prefeito José Fortunati (centro) e primeira-dama Regina Becker (esq.) participam de ação de resgate de cães e gatos
Prefeito José Fortunati (centro) e primeira-dama Regina Becker (esq.) participam de ação de resgate de cães e gatos
Foto: Cristine Rocho/PMPA / Divulgação

O resgate só foi possível com a ajuda de jipes, pois a água atingia a altura da cintura. Conforme secretária Regina Becker, que também é primeira-dama da cidade, os cães e gatos ficarão sob os cuidados da Área de Medicina Veterinária da Seda até os proprietários voltarem para suas casas. Os animais serão vermifugados, vacinados e esterilizados, mediante a autorização de seus donos.

"Faltam palavras para descrever o que ocorreu, mas me comoveu ver as pessoas abraçadas aos seus animais na hora de deixar suas casas. Também foi muito difícil lidar com a comoção das famílias na hora de entregá-los aos nossos cuidados, até que tudo seja restabelecido. Quem ama os animais, sabe o quanto precisamos ser fortes nessas horas", relata a secretária. Neste domingo, a equipe da Seda volta ao bairro Sarandi para averiguar a situação dos animais que ficaram com seus tutores.

Mais de 700 moradias, principalmente das vilas Asa Branca, Elizabete e Minuano, foram atingidas pelo alagamento. As ações de atendimento e abrigagem às famílias começaram ainda na madrugada de sábado, inicialmente na Associação dos Moradores da Asa Branca e na Paróquia Santa Catarina, onde o padre Carlos Feeburg comandou um grupo de mais de 80 voluntários da comunidade. Esse grupo se uniu a equipes da Cruz Vermelha, Força Sindical, jipeiros e servidores públicos que, mesmo de folga, fortaleceram as turmas de plantão das suas secretarias e órgãos.

Doações
As necessidades mais urgentes de doações são de fraldas infantis e geriátricas, remédios para asma, materiais de higiene pessoal, álcool gel, toalhas, colchões e alimentos. Há necessidade ainda de voluntariado na área de saúde. As doações podem ser feitas diretamente na escola, na rua Xavier de Carvalho, 274, bairro Sarandi, ou, a partir de segunda-feira, nos postos do Mercado Público e da Fasc, na avenida Ipiranga, 310.

Dique pode ter sido alvo de sabotagem
A prefeitura de Porto Alegre trabalha com a possibilidade de que o rompimento do dique tenha sido intencional. "Há indícios que esse rompimento pode ter sido provocado pela força humana, porque este terreno é feito de argila e qualquer filete que se faça no terreno, a água faz o resto", afirmou no sábado o diretor do Departamento de Esgotos Pluviais de Porto Alegre (DEP), Tarso Boelter, em entrevista à RBS TV.

O dique foi fechado no sábado com uma obra emergencial. Pedras redondas foram colocadas no local para interromper o fluxo da água por servidores da prefeitura municipal, além de areia e brita. O dique bloqueava a água do Arroio Feijó, que liga as cidades de Porto Alegre e Alvorada. O alagamento das casas provocou a interrupção do fornecimento de energia elétrica pela CEEE.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade