0

Políticos e jornalistas lamentam a morte de Ricardo Boechat nas redes sociais

Apresentador da Band TV morreu na queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira, 11

11 fev 2019
14h58
atualizado às 15h08
  • separator
  • comentários

SÃO PAULO - Políticos, jornalistas e admiradores lamentaram nas redes sociais a morte do apresentador e comentarista Ricardo Boechat, de 66 anos, nesta segunda-feira, 11, na cidade de São Paulo. O jornalista morreu na queda de um helicóptero no quilômetro 7 do Rodoanel, próximo ao acesso à Rodovia Anhanguera.

"É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos!", escreveu o presidente Jair Bolsonaro (PSL) nas redes sociais.

Em nota, o Palácio do Planalto lamentou a morte. O texto afirma que o País perdeu "um dos principais profissionais da imprensa brasileira". "A Presidência da República expressa seu pesar e condolências em razão do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, vitimado em um acidente aéreo, neste dia. O País perde um dos principais profissionais da imprensa brasileira. Sentiremos a falta de seu destacado trabalho na informação da população, tendo exercido sua atividade por mais de quatro décadas com dedicação e zelo."

Também em nota, a Prefeitura de São Paulo disse se solidarizar c"om a família e amigos pela perda ocorrida na tarde desta segunda-feira". "Boechat teve destaque em todas as funções que desempenhou no jornalismo, seja como repórter, comentarista ou apresentador. Sempre empenhado em retratar os fatos de maneira precisa e correta, passou pelos principais veículos de comunicação do país e, nos últimos anos, trabalhando na Rádio BandNews FM e na TV Bandeirantes, acompanhou de perto, com a competência de sempre, os temas mais caros à cidade de São Paulo."

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) também se manifestou nas redes sociais. "Manifesto meus sentimentos às famílias de #RicardoBoechat e do piloto do helicóptero, aos profissionais da Rede Bandeirantes, rádio e televisão, extensivos à classe jornalística, pela triste notícia do acidente que os vitimou. Deus no comando."

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), chamou Boechat de "um dos maiores jornalistas da sua história". "Sua atuação diária demonstrava sensibilidade em defesa do interesse público e do jornalismo de qualidade. Toda a solidariedade a seus familiares, amigos e colegas da Rede Bandeirantes", escreveu. Já o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), prestou condolências aos familiares e colegas do jornalista. "O Brasil perde um profissional ético, íntegro e talentoso."

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) disse receber a notícia com "tristeza". "Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Minha solidariedade a seus familiares e amigos."

Já o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), afirmou estar em "estado de consternação e tristeza. "Era um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do País."

Vereador do Rio, Carlos Bolsonaro (PSC) chamou Boechat de "um grande profissional, referência no jornalismo, capaz de conquistar o respeito tanto dos que convergiam quanto dos que divergiam de suas ideias e opiniões. Que seja sempre lembrado por isso", postou.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) declarou ter recebido a notícia com "profunda tristeza". Boechat fará uma falta enorme ao jornalismo, ainda mais nesse momento do país. Que Deus conforte sua família, amigos e colegas de trabalho nesse momento de perda e dor."

Boechat era torcedor do América-MG, que prestou homenagem ao jornalista nas redes sociais. "Expressamos nossos sentimentos à família e aos amigos do jornalista e das demais vítimas desse triste acidente."

Jornalistas e admiradores também lamentaram a morte de Boechat. "Tristeza e luto nessa tragédia para o jornalismo brasileiro. Perdemos uma referência para o jornalismo combativo e questionador", escreveu Flávio Fachel, apresentador do Bom Dia RJ. "Tá difícil de segurar a onda por aqui. Um dia choro por centenas, noutro por dezenas, agora choro por um colega: Ricardo Boechat, agora não! O jornalismo precisa de você", escreveu Milton Jung, da CBN.

Colunista do BR 18 e colunista do Estado, Vera Magalhães chamou o jornalista de "referência do jornalismo, colunista, como âncora". "Com tudo o que era, conseguia ser generoso com quem tinha menos experiência. No encontro que tivemos, me brindou com essa generosidade que nem sei se merecia."

Já o jornalista André Trigueiro lembrou do período em que trabalhou com Boechat na TV Globo. "Jornalista valente, corajoso, contundente, um dos grandes nomes dessa nossa profissão", disse. "Ricardo Boechat era um voz contestadora na imprensa, fará muita falta", lamentou Mauro Cezar, jornalista da ESPN.

A jornalista Miriam Leitão, da TV Globo, também falou sobre a morte do "querido amigo". "Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso", escreveu. "Meus sentimentos para a família do Boechat, um dos melhores e mais geniais jornalistas e comunicadores do Brasil", escreveu o comentarista internacional Guga Chacra.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade