0

Menina de 4 anos morre após ser picada por escorpião

Yasmin Lemos Campos foi picada quando brincava no quintal de casa; ela morava em Cabrália Paulista, interior de SP

11 jul 2018
14h53
atualizado às 15h19
  • separator
  • comentários

Foi sepultado na manhã desta quarta-feira, 11, o corpo de Yasmin Lemos de Campos, de 4 anos, vítima de um escorpião em Cabrália Paulista. Yasmin foi picada quando brincava no quintal de casa e foi levada ao posto de saúde local para receber os primeiros atendimentos. De lá, foi transferida para o hospital de Duartina, município a 10 quilômetros de distância.

O estabelecimento, porém, não tinha soro que combate o efeito da picada. A menina foi, então, levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Bauru, onde acabou morrendo na noite desta terça-feira, pouco depois de receber a medicação.

Yasmin foi picada quando brincava no quintal de casa e foi levada a diversos postos de saúde, mas não sobreviveu
Yasmin foi picada quando brincava no quintal de casa e foi levada a diversos postos de saúde, mas não sobreviveu
Foto: Andym0_2 / iStock

Familiares culpam a demora no atendimento da criança ao ser transferida para os outros municípios. O caso deverá ser objeto de investigação por parte da Polícia Civil.

Vítimas

Com o período de estiagem, ataques de escorpiões têm se multiplicado nas últimas semanas em cidades paulistas. Em Sumaré, um menino morreu no último sábado, 7, seis dias após ser picado ao calçar um tênis.

Nicolas Benette residia em um condomínio com infestação de escorpiões. "Assim que sentiu a picada, ele já saiu correndo e gritando", conta Renata Benette, mãe do garoto. Ele chegou a ser socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu.

Nicolas Benette foi picado por um escorpião que estava dentro de um de seus calçados
Nicolas Benette foi picado por um escorpião que estava dentro de um de seus calçados
Foto: lamyai / iStock

Em abril, outro menino, de 6 anos, também foi vítima de um escorpião, em Barra Bonita. Sem soro na cidade, Bryan Gabriel Alves foi mandado para o hospital de Jaú, onde acabou falecendo.

Prevenção

Em Americana, 234 pessoas foram picadas no primeiro semestre deste ano. Segundo o veterinário José Brites Neto, na cidade a maioria dos ataques envolve a espécie Tityus Serrulatus (escorpião amarelo). "O seu veneno possui efeito neurotóxico maior do que o encontrado na espécie marrom", explica.

Para evitar novos casos, providências têm sido tomadas, como a distribuição de 13 mil panfletos com orientações à população. Palestras também são realizadas sobre o tema a professores e profissionais da saúde.

Veja também:

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade