0

Jornada do Patrimônio oferece chances raras de visita à história de São Paulo

Evento promove visitas a espaços que não costumam ter visitas guiadas; programação reúne mais de mil atividades em todas as regiões da cidade

16 ago 2019
05h41
atualizado às 17h38
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - O portão da Casa Violetta volta e meia recebe algum transeunte que não se contenta em conhecer um sobrado modernista apenas da rua. Os curiosos esporádicos até conseguiam eventualmente entrar, mas será neste fim de semana que o espaço se abrirá para visitas guiadas. Assim como ele, outros tantos imóveis históricos integram a programação de mais de mil atividades da Jornada do Patrimônio, da Prefeitura.

A programação reúne exposições, roteiros, visitas guiadas e cortejos em todas as regiões da cidade. Grande parte das atividades precisa de inscrição por e-mail. As opções também são variadas nos temas, incluindo tanto os espaços mais icônicos do centro quanto histórias e locais quase desconhecidos. Um exemplo é o Palácio do Comércio, primeira sede da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap). De 1908, ele costuma receber visitantes ao longo do ano, mas é durante a Jornada que atrai público mais variado.

"A visita começa pelo hall, depois vamos a uma sala bem preservada, com pé-direito duplo, depois subimos a escadaria de mármore. A gente fala sobre os fundadores e ex-alunos, como o Moreira Salles e o Mário de Andrade. Também vamos no salão nobre e no centro de memória", conta Miriam Vale, professora e curadora do Centro de Memória da Fecap.

A Casa Violetta, projetada por Gregori Warchavchik (da Casa Modernista), também vai levar os visitantes para conhecer cômodos. "Aos poucos, fui descobrindo a história daqui (após criar o espaço, que recebe eventos e é coworking), é uma casa bem linda. Volta e meia umas pessoas ficam olhando, vem arquiteto - até porque é perto do Museu Lasar Segall. Esses dias uma vizinha me contou que uma salinha do lado da edícula era para ser um galinheiro", conta Carol Bassitt, idealizadora do espaço.

Prefeitura

Dentre as novidades estão parcerias com padarias e restaurantes históricos, como o Ponto Chic, e o lançamento do projeto Memória Paulistana, que instalará 25 placas em pontos marcantes da cidade, como a esquina das Avenidas Ipiranga e São João, por exemplo.

Segundo o secretário de Cultura, Alexandre Youssef, o evento ganhou em diversidade e múltiplas linguagens. Cada região receberá um grande cortejo. No caso do centro, por exemplo, atores interpretarão personalidades de São Paulo, como Mário de Andrade e Plínio Marcos.

"Esses momentos de descobrimento ou redescobrimento do nosso patrimônio cultural são impactantes para quem vivencia", aposta. "Pode se dar tanto do ponto de vista do conhecimento do patrimônio material, dos grandes espaços, monumentos, como também da sensação de pertencimento, de valorização da cidade."

Cinco lugares para conhecer na Jornada do Patrimônio de São Paulo

Museu da Língua Portuguesa

Visita às obras do espaço, que passa por reconstrução e tem reinauguração prevista para o primeiro semestre de 2020.

Sábado e domingo, 11h e 13h , na Estação da Luz

Inscrições: museu@museulp.org.br

Palácio do Comércio/Fecap

Imóvel eclético inaugurado em 1908.

Sábado, das 9h às 16h, e domingo, das 9h às 15h, no Largo de São Francisco, 19

Casa Violetta

Sobrado modernista projetado por Gregori Warchavchik. Hoje funciona como coworking.

Sábado e domingo, das 9 às 17 horas, na Rua Berta, 82, Vila Mariana

Antiga Fábrica Maria Zélia

Local em que os primeiros moradores da Vila Maria Zélia trabalhavam e que hoje é utilizado para fabricar pneus.

Domingo, das 10 às 14 horas. R. dos Prazeres, 106, Belém

Casa João Marino

Residência modernista projetada por Sylvio Sawaia. Sábado e domingo, a partir das 10h.

Av. Lopes de Azevedo, 265, Jardim Guedala.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade