2 eventos ao vivo

Famílias são autorizadas a voltar para casa após risco de rompimento de barragem em MG

Defesa Civil e Polícia Militar liberaram retorno, após avaliação de que casas não serão atingidas por eventual ruptura de barragem em Itatiaiuçu

10 fev 2019
18h55
  • separator
  • comentários

BELO HORIZONTE - Três famílias, um total de seis pessoas, que moram no distrito de Pinheiros, em Itatiaiuçu, região Centro-Oeste de Minas, foram autorizadas pela defesa civil e a polícia militar hoje, 10, a retornarem em definitivo para suas casas. Após nova avaliação, foi constatado que suas residências não serão atingidas caso a barragem da ArcelorMittal na região se rompa.

Na madrugada de sexta-feira, 8, cerca de 50 famílias, conforme informações iniciais da PM, foram retiradas do distrito depois de ser apontado risco de ruptura da estrutura. Segundo informações da empresa, o número de famílias retiradas e levadas para um hotel na cidade vizinha de Itaúna é de 31, com total de 112 pessoas.

Permanecem no hotel, portanto, 28 famílias, que somam 106 pessoas, conforme a mineradora. "Em conjunto com as autoridades, chegou-se à conclusão de que os imóveis estão fora da área de influência da barragem Serra Azul", diz a empresa. Outras cinco famílias, que também estavam autorizadas voltar, segundo a Arcelor, preferiram permanecer no hotel.

A empresa afirma que a partir de amanhã, 11, os moradores evacuados de Pinheiros terão transporte para a região. Crianças, jovens e adolescentes serão levados para escolas em Itatiaiuçu.

Nova avaliação

Em Barão de Cocais onde moradores também tiveram que ser evacuados na sexta-feira por risco de ruptura de barragem, neste caso, da Vale, uma nova análise da estrutura estava prevista para hoje, 10. Um laudo será emitido. Segundo a empresa, "depois do acionamento do plano de emergência, a Vale continua realizando o monitoramento das condições da barragem de quatro em quatro horas. A última verificação realizada pela equipe da Vale não detectou nenhuma anormalidade".

A mineradora afirma que vai implantar na estrutura "equipamento com capacidade de detectar movimentações milimétricas". A empresa diz ter colocado 205 pessoas em hotéis da cidade. Outras 188 estão em casas de parentes, conforme a mineradora. As áreas evacuadas permanecem com acesso bloqueado. As autoridades seguem tentando fazer com que 31 pessoas que se recusaram a sair de casa deixem as suas residências.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade