0

Corpos de bolivianos desaparecidos são achados em Itaquaquecetuba

Casal e criança de 8 anos estavam em malas no interior de uma casa; suspeito do crime é um parente que está foragido

9 jan 2019
11h38
atualizado às 17h44
  • separator
  • comentários

SOROCABA - Os corpos de três bolivianos que estavam desaparecidos desde dezembro foram encontrados esquartejados, na noite desta terça-feira, 8, em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. As vítimas foram identificadas como Jesus Reynaldo Condori Sanizo, de 39 anos, Irma Morante Sanizo, de 38, e o filho do casal, Gian Abner Morante Condori, de 8 anos. O suspeito do crime, um parente também boliviano que trabalhava com as vítimas, está foragido.

O suspeito viajou e não deu notícias depois do desaparecimento da família. De acordo com a Polícia Civil, a mulher dele falou para a polícia sobre o aluguel de uma casa, localizada na rua Serra Formosa, no bairro Jardim Paineira. Policiais militares foram ao local e malas foram encontradas no banheiro dos fundos. As partes dos corpos das vítimas estavam dentro de sacos plásticos em três malas.

Os corpos da família de bolivianos foram achados em uma casa em Itaquaquecetuba
Os corpos da família de bolivianos foram achados em uma casa em Itaquaquecetuba
Foto: Polícia Civil/Divulgação / Estadão

O dono afirmou que o imóvel foi alugado pelo suspeito para servir como depósito de máquinas de confecção. Familiares reconheceram as vítimas, que tiveram as identidades confirmadas por uma perícia preliminar.

A família, que tinha uma pequena confecção na região do Brás, na capital, desapareceu no dia 23 de dezembro. Parentes na Bolívia chegaram a fazer campanhas em redes sociais na tentativa de obter informações sobre o paradeiro dos bolivianos.

Conforme o delegado Eliardo Amoroso Jordão, do 1.º Distrito Policial de Itaquaquecetuba, o suspeito dos assassinatos é cunhado de uma das vítimas e veio da Bolívia para trabalhar com a família na confecção, mas houve um desentendimento por questões financeiras. Após planejar a morte da família, ele teria pedido a um amigo que alugasse a casa com o pretexto de servir como depósito de máquinas.

O amigo e um funcionário ajudaram no transporte dos equipamentos. Eles foram ouvidos na manhã desta quarta-feira, 9, e negaram conhecimento das mortes. Ainda segundo o delegado, tudo indica que o casal e a criança foram assassinados em São Paulo e as malas com os corpos foram transportadas para Itaquaquecetuba.

Ele vai encaminhar à Justiça pedido de prisão do suspeito. Como o desaparecimento foi denunciado à Polícia Federal do Brasil e da Bolívia, o homem já é procurado também pela Interpol.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade