0

Andrea Matarazzo repudia acusações de participação em esquema de propina

9 ago 2013
14h02
atualizado às 14h07
  • separator
  • 0
  • comentários

O ex-secretário de Energia e vereador Andrea Matarazzo divulgou uma nota, nesta sexta-feira, na qual repudia a informação de que ele estaria envolvido em um esquema de propina no Estado. Segundo reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta quinta, um inquérito da Polícia Federal havia indiciado 10 pessoas suspeitas de envolvimento com um suposto esquema de pagamento de propina a funcionários do governo do Estado de São Paulo e do PSDB.

De acordo com a publicação, os documentos da PF eram sobre a investigação do grupo empresarial francês Alstom - caso semelhante ao da Siemens, que denunciou a formação de cartel nos metrôs de São Paulo e Distrito Federal. Entre os indiciados pela PF no caso Alstom, estaria o ex-secretário Andrea Matarazzo.

“É um disparate a forma como querem ligar meu nome a supostos favorecimentos. Não sou sequer citado na troca de correspondência entre executivos da Alstom, em 1997 que consta em documento da Polícia Federal, um ano antes de eu me tornar secretário de Energia”, disse Matarazzo em comunicado oficial.

Segundo ele, os indícios apontados pela Polícia Federal se justificam pelo fato dele ter sido “secretário de Energia e pertencer ao mesmo partido político que governava São Paulo”. Andrea Matarazzo informou ainda que acionou o advogado para tomar as providências legais  sobre o caso.

Veja, na íntegra, a nota oficial publicada pelo ex-secretário:

"É um disparate a forma como querem ligar meu nome a supostos favorecimentos. Não sou sequer citado na troca de correspondência entre executivos da Alstom, em 1997 que consta em documento da Polícia Federal, um ano antes de eu me tornar secretário de Energia.

Durante o período em que fui secretário não tive conhecimento, não discuti nem assinei qualquer aditivo ou contrato que esteja sendo investigado. As atas das reuniões podem comprovar.

Os indícios apontados pelo delegado da Polícia Federal são o fato de eu ter sido secretário de Energia e pertencer ao mesmo partido político que governava São Paulo.

Meu advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira já tomou as providencias necessárias para que os fatos prevaleçam.

É com muita indignação e repulsa que vejo meu nome envolvido, pela primeira vez em 20 anos de vida pública, em denúncias infundadas sobre assuntos dos quais jamais tive conhecimento ou participação.

Andrea Matarazzo"

Foto: Arte Terra

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade