PUBLICIDADE

Bolsonaro terá 3 indiciamentos por crime contra humanidade

Também foi retirado o indiciamento do pastor evangélico Silas Malafaia, acusado inicialmente de incitação ao crime por divulgar fake news

20 out 2021 10h48
| atualizado às 11h05
ver comentários
Publicidade
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Foto: Adriano Machado / Reuters

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta quarta-feira, 20, que o presidente Jair Bolsonaro terá três pedidos de indiciamentos por crimes contra a humanidade, nos casos da falta de oxigênio em Manaus, da empresa Prevent Sênior e da morte de indígenas durante a pandemia.

De acordo com Renan, durante reunião com outros senadores da CPI foi decidido trocar o pedido de indiciamento por genocídio de indígenas por crime contra a humanidade para tipificar melhor os crimes.

De acordo com o senador, também foi retirado o pedido de indiciamento por crime de homicídio qualificado contra o presidente devido às argumentações técnicas do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), delegado por mais de duas décadas. "Eu concordei com as mudanças no relatório, todos nós fizemos concessões."

Relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL)
06/10/2021
REUTERS/Adriano Machado
Relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL) 06/10/2021 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Também foi retirado o indiciamento do pastor evangélico Silas Malafaia, acusado inicialmente de incitação ao crime por divulgar notícias falsas. Renan não explicou o porquê da retirada de Malafaia do relatório.

A leitura será feita ainda na manhã desta quarta-feira e a votação, na próxima semana.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade