PUBLICIDADE

Bolsonaro recua e revoga nomeação de Ramagem para PF

Decreto também anula exoneração do delegado da direção da Abin

29 abr 2020 15h06
| atualizado às 15h08
ver comentários
Publicidade

Após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspender a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da Polícia Federal (PF), o presidente Jair Bolsonaro tornou sem efeito o decreto no qual consta sua indicação.

Decreto também anula a exoneração de Ramagem como diretor-geral da Abin
Decreto também anula a exoneração de Ramagem como diretor-geral da Abin
Foto: Fátima Meira/Futura Press / Ansa - Brasil

A posse de Ramagem estava marcada para a tarde desta quarta-feira (29), no Palácio do Planalto, mas o recuo foi publicado em edição extra do "Diário Oficial da União".

O novo decreto atende a decisão de Moraes, que, mais cedo, apontou possível desvio de finalidade no ato para suspender a nomeação feita por Bolsonaro.

Com isso, também é anulada a exoneração de Ramagem como diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Desta forma, a expectativa é de que ele volte ao cargo até que o impasse jurídico seja solucionado.

Moraes atendeu uma ação protocolada pelo PDT no qual questionava a nomeação de Ramagem por conta de sua relação de amizade com os filhos de Bolsonaro e por causa das acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro de interferência política na PF.

Apesar da suspensão, a cerimônia de posse no Planalto será mantida, já que os novos ministros da Justiça, André Luiz Mendonça, e da Advocacia-Geral da União (AGU), José Levi, devem ser confirmados nos cargos.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade