6 eventos ao vivo

À frente do CNJ, Fux anuncia criação do Observatório do Meio Ambiente

22 set 2020
17h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente do STF, ministro Luiz Fux, anunciou, em seu primeiro discurso à frente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a criação no colegiado do "Observatório de Meio Ambiente", com o objetivo de propor iniciativas a serem adotadas por toda a Justiça brasileira em matéria de meio ambiente com repercussão no Poder Judiciário. 

Presidente do STF, Luiz Fux 
08/06/2017
REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente do STF, Luiz Fux 08/06/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

Fux também defendeu o estímulo à criação de varas colegiadas para o combate a organizações criminosas que violam o meio ambiente.

O novo presidente do CNJ disse ainda que o eixo do meio ambiente será central em sua gestão porque ele pode impulsionar o país no mercado internacional.

    "Em nosso plano de gestão, o eixo do meio ambiente será muitíssimo importante porque o meio ambiente também é algo que propulsiona o Brasil no mercado internacional, como elemento primordial na realização de investimentos no país, os quais são necessários para a retomada da economia, em especial no cenário pós-pandemia", disse Fux nesta terça-feira, no discurso em que apresentou planos da sua gestão no CNJ.

    O governo brasileiro tem sido alvo de críticas dentro e fora do país em razão de uma atuação omissa para conter o avanço do desmatamento e das queimadas na Amazônia, por exemplo.

    Apesar disso, mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro disse em discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas que o Brasil é vítima de uma campanha sobre o meio ambiente baseada em "interesses escusos" com intenção de prejudicar o governo. [nL2N2GJ0U1]

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade