0

Bolsonaro recebe filho mais velho e se despede de seguranças da campanha

Nas redes sociais, presidente eleito prometeu valorizar profissionais da área de inteligência

30 dez 2018
18h41
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - Sem agenda oficial prevista para este domingo, 30, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) recebeu o seu filho mais velho, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência. O senador eleito pelo Rio chegou dirigindo um carro, em companhia da mulher e de uma das filhas do casal. Ele não parou para falar com a imprensa.

O presidente eleito Jair Bolsonaro conversando com um grupo de seguranças na Granja do Torto, residência oficial da Presidência em Brasília
O presidente eleito Jair Bolsonaro conversando com um grupo de seguranças na Granja do Torto, residência oficial da Presidência em Brasília
Foto: Instagram / Jair Bolsonaro / Estadão

Recentemente, Flávio se viu em uma polêmica envolvendo um ex-assessor, Fabrício Queiroz, que foi citado em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) devido a movimentações atípicas em sua conta. O caso foi revelado pelo Estado. Também foram identificados depósitos feitos por funcionários do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) na conta de Queiroz.

Mais cedo, Bolsonaro recebeu agentes da Polícia Federal que cuidaram de sua segurança desde o início da campanha eleitoral. Durante a despedida, Bolsonaro cumprimentou o grupo e agradeceu pelo trabalho. Depois, os agentes posaram para fotos em frente à piscina da casa. A partir da posse, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) passa a ser responsável pela segurança do presidente.

Neste domingo, Bolsonaro também usou suas redes sociais para informar que pretende valorizar o trabalho na área de inteligência, reconhecendo a importância estratégica do serviço para o País. "O trabalho de Inteligência é dos mais importantes e sensíveis para a segurança da Nação. No entanto, por sua natureza discreta, raramente é reconhecido. No que depender deste governo não faltará apoio e valorização para os profissionais da área!", afirmou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade