PUBLICIDADE

Biden recebe vacina de reforço contra Covid em meio a distribuição de doses adicionais

27 set 2021 15h53
ver comentários
Publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, dobrou a manga da camisa para receber uma vacina de reforço contra Covid-19 nesta segunda-feira, esperando dar aos norte-americanos um exemplo contundente sobre a necessidade de uma dose adicional enquanto milhões ainda nem receberam a primeira.

Presidente dos EUA, Joe Biden, recebe dose de reforço de vacina contra Covid-19 na Casa Branca
27/09/2021 REUTERS/Kevin Lamarque
Presidente dos EUA, Joe Biden, recebe dose de reforço de vacina contra Covid-19 na Casa Branca 27/09/2021 REUTERS/Kevin Lamarque
Foto: Reuters

Ao receber a dose de reforço, Biden refutou as críticas segundo as quais os EUA deveriam distribuir mais vacinas pelo mundo antes de autorizar os reforços em casa.

"Faremos nossa parte", disse ele.

Na semana passada, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) endossou uma dose adicional da vacina da Pfizer/BioNTech para norte-americanos de 65 anos ou mais, adultos com problemas médicos preexistentes e adultos que trabalham em ambientes institucionais e de trabalho de alto risco.

Biden, de 78 anos, disse que a esposa Jill também receberá uma vacina de reforço em breve.

Embora os cientistas estejam divididos sobre a necessidade de doses de reforço quando tantas pessoas dos EUA e de outros países ainda não estão vacinadas, Biden anunciou a iniciativa em agosto como parte de um esforço para aumentar a proteção contra a variante Delta altamente transmissível.

Só pessoas que receberam sua última dose da vacina da Pfizer ao menos seis meses atrás estão autorizadas a receber outra inoculação agora, disse a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA).

A FDA ainda não analisou o pedido de aprovação da vacina de reforço da Moderna, e a Johnson & Johnson ainda não fez tal pedido.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade