2 eventos ao vivo

Após cirurgia, Bolsonaro apresenta quadro clínico estável e vai receber visitas restritas

Presidente foi submetido a operação de correção de hérnia incisional; porta-voz da Presidência e médico do Hospital Vila Nova Star confirmam que procedimento foi bem-sucedido

8 set 2019
09h34
atualizado em 9/9/2019 às 09h37
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO — Após quase cinco horas de cirurgia para correção de hérnia incisional, o presidente Jair Bolsonaro apresenta quadro clínico estável e deverá receber visitas restritas, informam o porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rego Barros, e o médico responsável pelo procedimento, Antônio Macedo, cirurgião geral do Hospital Vila Nova Star, na zona Sul de São Paulo. O procedimento começou às 7h35 e terminou às 12h40. Segundo o cirurgião, Bolsonaro só receberá alta quando tiver condições de viajar de avião, o que pode demorar dez dias.

Segundo Macedo, o procedimento foi longo por causa de uma aderência do intestino, mas correu sem complicações. "A gente fala que vai durar duas horas. Mas vai durar o que é necessário. Se precisar durar quatro, que demore. O importante é ficar bem feito. Tem de ter muito cuidado para não machucar o intestino de forma alguma", explicou.

Ao ser questionado sobre possíveis novas cirurgias, o médico disse que a chance de a hérnia voltar é pequena. "Elas têm índice de reincidir, mas essa probabilidade não é superior a 6%. A chance é muito pequena. O tecido está bem mais musculoso e mais forte, é de imaginar que não vai haver reincidência, mas é sempre possível."

No início da noite deste domingo, 8, Macedo afirmou que Bolsonaro só receberá alta quando tiver condições de viajar de avião, mesmo que sua recuperação permita deixar o hospital antes disso. "Ele só vai sair daqui direto para o aeroporto para ir embora, ele não vai ficar em hotel", explicou o cirurgião. "Então é difícil dizer (quando receberá alta). Mesmo que ele esteja, com cinco dias, bem, para viajar assim ele precisa de uns dez dias", concluiu.

De acordo com Macedo, Bolsonaro está se recuperando bem e já é capaz de falar, o que é normal para quem passou pelo procedimento de correção de hérnia incisional. A partir desta segunda-feira, 9, o presidente passará por uma dieta líquida.

Antes havia a expectativa de que o presidente ficasse internado por cinco ou seis dias. Segundo a informação divulgada pelo porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rego Barros, Bolsonaro passou a Presidência ao seu vice, o general Hamilton Mourão, por cinco dias. Segundo Rego Barros, o presidente está bem clinicamente e terá visitas restritas nos próximos dias por causa da necessidade de recuperação.

Pelo Twitter, Bolsonaro agradeceu o apoio e orações em seu nome e disse que logo estará "de volta ao campo".

Mais cedo, o Vila Nova Star divulgou o primeiro boletim do estado de saúde de Bolsonaro, ressaltando o quadro clínico estável e a realização sem complicações da cirurgia de correção de hernia.

"O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi submetido a cirurgia de correção de hérnia incisional, hoje, 8 de setembro, às 7h35, com término às 12h40, no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. O procedimento foi bem-sucedido, realizado pelo cirurgião-chefe Dr. Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo e sua equipe", informa o Vila Nova Star.

"A técnica utilizada foi a Herniorrafia Incisional com implantação de tela. O paciente fará sua recuperação no apartamento e apresenta quadro clínico estável. Por orientação médica, estará com visitas restritas nesse momento".

A cirurgia foi anunciada no último dia 1º para a correção de uma hérnia que surgiu sob a cicatriz das cirurgias anteriores de Bolsonaro, no local em que ele levou a facada em setembro de 2018.

Segundo Macedo, médico responsável pelo acompanhamento do presidente, as hérnias incisionais podem ocorrer em casos de cirurgias não-planejadas, como a que foi realizada em Bolsonaro após a facada, e é comum em pacientes submetidos a vários procedimentos cirúrgicos na região - o que também ocorreu com o presidente, que passou por três operações após o ataque.

"Tudo isso é consequência das cirurgias. O tecido ficou enfraquecido, cedeu a sutura e surgiu essa hérnia. Vamos abrir a pele e a gordura, soltar a área que está enfraquecida e vamos aproximá-la mediante a colocação de uma tela de polipropilmeno para reforçar o tecido. A cirurgia não é longa, mas é delicada, o paciente recebe anestesia geral. A recuperação é boa, porque a gente trabalha fora do abdome. No dia seguinte, (o paciente) já está andando."

O filho mais velho de Bolsonaro, o senador pelo Rio de Janeiro (PSL-RJ) Flavio Bolsonaro, chegou por volta das 10h ao Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. O senador, entretanto, não falou com a imprensa. Outros dois filhos do presidente, o deputado Eduardo (PSL-SP), chegou mais cedo, e o vereador Carlos (PSC-RJ), por sua vez, chegou no sábado, 7, com a comitiva do Planalto, assim como a primeira-dama Michelle.

Pelo Twitter, os filhos do presidente escreveram textos afirmando que Bolsonaro passa bem após a cirurgia desta manhã. "Jair Bolsonaro já no quarto, disposto e bem-humorado, graças a Deus! Obrigado à equipe médica e a todos pelas orações!", escreveu Flavio.

"JB acabou de sair da sala de cirurgia com todos os indicadores de saúde muito bem. Agradecemos a Deus, a toda equipe médica, do hospital e a todos que rezaram/oraram. A cirurgia foi um sucesso", afirmou o deputado Eduardo Bolsonaro. O vereador Carlos Bolsonaro apenas publicou um sinal positivo acompanhado da bandeira do Brasil. / CRISTIAN FAVARO, PAULO ROBERTO NETTO, CIRCE BONATELLI e PAULA REVERBEL

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade