- Anuncie
- Assine

   
 
Entrevista // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


"Não desejo o que passei ao meu maior inimigo
O ator Robert Downey Jr. fala sobre sua recuperação da dependência química e do desejo de ser pai novamente

Elaine Guerini, de Los Angeles

Foto: AFP

CHAPÉU, CAMISETA E UMA CONFORTÁVEL calça listrada, daquelas que lembram um pijama. Assim, à vontade, Robert Downey Jr. recebeu Gente em Los Angeles, para falar de seu novo trabalho, a comédia Um Parto de Viagem, que estreou no Brasil na sexta-feira 5. Extremamente bemhumorado, o ator fez questão de frisar que drogas, prisões, brigas e perseguições pertencem apenas ao personagem – um arquiteto nervosinho que ganha um companheiro indesejável em uma viagem. “Não desejo o que passei ao meu maior inimigo”, afirma ele, sobre o longo período entre 1996 e 2002, em que sofreu sucessivas internações em clínicas de reabilitação. Na época, ele também passou um ano na prisão, por porte de heroína, cocaína e anfetaminas.

Recuperado, o astro diz querer curtir a revitalização de sua carreira e o casamento de cinco anos com a produtora Susan Levin, apontada como a responsável por ele ter se livrado definitivamente do vício das drogas. Para selar a fase de amadurecimento, o americano de 45 anos pensa em ser pai pela segunda vez. “Seria incrível começar tudo de novo. De preferência, com uma menininha. É um desejo que gostaria de realizar até 2012’”, contou ele, que já é pai de Indio Falconer Downey, de 17 anos, fruto do casamento com Deborah Falconer.

Sereno em relação ao passado, Downey chega a fazer piada sobre seu histórico junkie. “Inicialmente, a cena em que meu personagem e o de Zach (Galifianakis) ficam chapados no carro tinha quatro páginas de diálogos. Mas acabou virando um momento de cinema mudo quando o diretor (Todd Phillips) percebeu que bastava a gente se olhar. Adoro quando o meu personagem, doidão, imagina que Zach é um urso”, relembrou, rindo.


Foto: AP

“Finjo que meu passado fez de mim uma pessoa melhor” passado fez de pessoa melhor”


No filme, seu personagem cruza os EUA para ver o primeiro filho nascer. Isso despertou a vontade de querer ser pai novamente?
A verdade é que meu filho não é mais uma criança. Indio vai completar 18 anos. Eu já estou com 45 e minha mulher tem 37. Ela é uma tremenda gata. Eu já tive dias melhores, não sou mais tão atraente... (risos). Então, quero engravidá- la o quanto antes.


Imaginava que conseguiria mudar sua vida depois de uma fase tão problemática?
Se alguém me dissesse que eu teria de enfrentar tantos problemas até chegar aqui, eu não acreditaria. Diria que só poderia ser uma grande piada cósmica (risos). Quando eu olho para trás, percebo que o fato de ter saído totalmente do controle talvez seja uma prova da existência do divino. E isso sempre me emociona. Pelo menos nos dias em que não sou um perfeito idiota (risos).

 

 

1 | 2 | Próxima >>

   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS