- Anuncie
- Assine

   
 
Paulo Borges // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Luxo, pop, show
Estilista mais bem-humorado da moda nos dias de hoje fala com exclusividade à Gente

Por Paulo Borges

 

 

JEREMY SCOTT, nascido em Kansas, é um dos estilistas norte-americanos mais projetados no cenário da moda mundial. Amigo de Katy Perry, Lady Gaga, Beth Ditto, Kanye West e mais uma dezena de estrelas da constelação pop, ele é frequentemente comparado a Jean Charles de Castelbajac (estilista) e Jeff Koons (artista plástico). Jeremy esteve em São Paulo para o lançamento da mais nova coleção que desenhou para a Adidas ObyO (abreviatura de Originals by Originals). Gente conversou com ele sobre bom humor, ídolos, cultura negra e, é claro, sobre a temida crítica de moda. Confira:

Paulo Borges: Essa é a quarta coleção de inverno que você cria para a Adidas ObyO. Quais as semelhanças ou diferenças em relação ao seu trabalho para a sua marca própria?
Jeremy Scott: Existem mais similaridades do que diferenças. Quando eu desenho para a Adidas, eu penso em coisas que eu gostaria de usar. Quando desenho a minha própria coleção, penso nas mulheres, no que elas gostariam de vestir,e amarro isso com uma história, uma fantasia, um roteiro. Nesse aspecto, as duas coleções são diferentes, embora tenham conexões. Quando desenho para a Adidas, é mais pessoal. Então, a coleção é mais masculina. No caso da minha marca própria, a abordagem é mais feminina.

PB: Você ficou conhecido mundialmente pelo seu ótimo senso de humor.
JS:
Que bom! Acho que é extremamente importante ter senso de humor – é a melhor forma de transmitir uma mensagem. Estamos falando de moda, então acho que tem que ser uma coisa divertida, tem que ter um joie de vivre, ser leve. Não temos que encarar a moda como uma religião, que você vai à igreja e precisa rezar, ajoelhado, com dor. A moda tem que ser maravilhosa, feliz e divertida.

PB: Quem são as pessoas que alimentam seu humor?
JS:
Milhões! Amo o Andy Warhol e todo o seu legado, adoro a Madonna. Sou fascinado pelo mundo dos popstars! Tem a Beth Ditto, Rihanna, Lady Gaga, M.I.A, Kanye West – são todas figuras que me motivam muito.

PB: Existe uma conexão muito forte sua com a cultura negra.
JS
: Eu sempre achei a cor da pele negra linda, sempre gostei de pessoas negras, acho que elas são mais elegantes. Sempre me inspirei no hip-hop. Adoro como eles criam suas próprias tendências independentemente do resto do mundo. Sempre achei isso incrível e inspirador de muitas formas.

PB: Você costuma ler o que publicam a seu respeito?
JS:
Às vezes. Mas não me preocupo com a pessoa que está escrevendo, eu leio as coisas que chegam até mim. Eu amo a Suzy Menkes [crítica de moda do International Herald Tribune], ela sempre me apoiou muito, mas mesmo ela já disse coisas boas e ruins sobre o meu trabalho. Eu não levo isso muito a sério. Eu acredito no que estou fazendo, e tenho uma base sólida de pessoas que gostam do que eu faço. Eu não dou muita confiança para esse mundo. Não é que eu não goste, não sou contra, acho tudo bem a crítica de moda existir. Mas ela não afeta o que eu estou fazendo, para ser honesto.

Pop Up Store ObyO Jeremy Scott
Cartel Zero Onze – rua Artur de Azevedo,
517 – Pinheiros – SP
(11) 3081-4171

Rio Design Barra
Loja Adidas Originals
avenida das Américas, 7.777 – Barra da
Tijuca – RJ
(21) 2431-2123

+ Acesse www.ffw.com.br para ver um
vídeo exclusivo da entrevista.

 

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>
   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS