- Anuncie
- Assine

   
 
Diversão & Arte // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Música
Rock in Itu
Festival SWU, três dias de música em uma fazenda no interior de São Paulo, surge cercado de uma aura à la Woodstock

CHRIS GLASS/DIVULGAÇÃO

ITU, NO INTERIOR DE SÃO PAULO, virou sinônimo de grandeza graças a um programa humorístico dos anos 60, com um personagem ituano que dizia ser da cidade “onde tudo é grande”. E é lá que fica a fazenda onde será realizado, entre sábado 9 e segunda-feira 11, o SWU (Start With You), festival que é um dos maiores já realizados no País. E o tamanho, agora, nada tem de piada. Com quatro palcos (dois principais, Ar e Água, um de música eletrônica e um para novas bandas), trará shows de Joss Stone, Pixies, Dave Matthews Band, Tiesto e a volta do Los Hermanos, entre outras atrações, além de um espaço dedicado a discussões sobre sustentabilidade, o tema por trás de todo o festival.
A primeira associação feita ao evento foi com Woodstock, não apenas por ser em uma fazenda e durante três dias, mas também pela consultoria de Michael Lang, criador do lendário festival americano de 1969. Mas as referências usadas pelos produtores brasileiros foram os realizados anualmente nos Estados Unidos e na Europa. Tanto que já há planos para uma segunda edição. “O SWU está ganhando vida, é um projeto forte. A vontade de fazer outra é grande”, diz o diretor artístico Theo Van der Loo.

 

Divulgação

A primeira surge cercada de expectativas e, claro, algumas reclamações. Uma das queixas é com relação ao line up, que traz, por exemplo, Teatro Mágico e Dave Matthews Band no mesmo dia. “É um festival democrático, para que haja integração, sem ‘tribos’”, diz Theo. “Chega de radicalismo. Há a possibilidade de se conhecer pessoas diferentes, ouvir coisas diferentes. Agora, pode ser estranho, mas na segunda edição, o público já vai estar acostumado a isso.”
Os critérios para a escolha das bandas e artistas se apresentarem foram dois. “Queríamos artistas que tivessem um trabalho sólido, de respeito, e ligados a algum tipo de ação social”, conta Theo. Aos músicos, não foram feitas exigências. Mas eles... Se são lendárias e estranhas as exigências de cantores internacionais nos camarins, desta vez, são muitos pedidos a administrar. “Não houve nenhum pedido muito estranho. Mas equilibrar pratos ou qualquer malabarismo é fácil perto do trabalho que dá”, brinca Theo, que trabalhou durante um ano – prazo curtíssimo para a produção de um evento desse porte. “Ganhei algumas gastrites, uma pedra no rim e muita insônia”, conta ele, que, no entanto, estará lá nos três dias e ainda pretende encontrar tempo para diversão. “Quero muito ver Rage Against the Machine, estou curioso para ver Linkin Park, Cavalera Conspiracy e Jota Quest.”

Informações sobre localização, ingressos, camping, estacionamento e line up completo no site www.swu.com.br

 

   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS