- Anuncie
- Assine

   
 
Sociedade // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Na mesa com dona Lily
Depois de promover almoço para a candidata Dilma Rousseff, no início de julho, a viúva do jornalista Roberto Marinho recebe príncipes da Dinamarca na lendária mansão do Cosme Velho

Gustavo Autran Fotos Marcelo Fernandes/Ag.IstoÉ

 

O nobre dinamarquês presenteou a anfitriã com uma foto de seu casamento


O príncipe Joachim e a princesa Marie vieram estreitar as relações comerciais entre Brasil e Dinamarca

A FILA PARA CUMPRIMENTAR a anfitriã parecia não ter fim. Recuperando-se de uma queda sofrida há cinco meses, que a forçou a ficar sobre uma cadeira de rodas, dona Lily Marinho, 89 anos, fazia questão de saudar um a um − sempre se desculpando por não estar de pé para dar as boas-vindas. Aos poucos, os 30 convidados foram dominando a espaçosa sala de estar, decorada com telas de Portinari e Chagall. Eram recebidos com tacinhas borbulhantes de Dom Pérignon e ao som do pianista Vicente Quintella, que tocava standards do jazz e clássicos da bossa nova. Dois meses depois do almoço oferecido à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, dona Lily abriu novamente a mansão do Cosme Velho, para um jantar na quarta-feira 15. Na lista, o príncipe dom Pedro de Orleans e Bragança e a esposa, Fátima de Orleans e Bragança, a embaixatriz Maria Thereza Castello Branco, o cônsul-geral da França, Jean Claude Moyret, e a condessa Emita de Pourtales. Todos reunidos para receber o príncipe Joachim, da Dinamarca, e sua esposa, a princesa Marie, que estiveram no Brasil para estreitar os laços comerciais entre as duas nações.

O casal chegou às 21h, escoltado por policiais do Bope. Sorridentes, o príncipe e a princesa conversaram sobre sua programação na cidade. Marie tinha visitado naquela tarde o espaço Criança Esperança, na Favela do Cantagalo. "O Rio é muito bonito, mas tem muitos contrastes entre ricos e pobres", comentou. Ela ficou surpresa quando viu os flamingos criados nos jardins do casarão de três mil metros quadrados dos Marinho. "Nunca fiquei tão próxima de um flamingo, quanto mais dentro de um jardim particular", contou ela.

O jantar foi servido às 22h20. O cardápio assinado pelo chef Claude Troisgros trazia de entrada tartare de salmão. Como prato principal, codorna recheada com foie gras ao molho de jabuticaba, acompanhada de acelga refogada. De sobremesa, crepe de maracujá. Para acompanhar, vinhos franceses Haut-Brion (tinto) e Pouilly Fuissé (branco).

Dona Lily surpreendeu os convidados ao discursar em francês uma mensagem de agradecimento ao casal de nobres dinamarqueses. Em retribuição, o príncipe Joachim deu de presente à anfitriã um porta-retrato com uma foto tirada no dia de seu casamento. "Mais uma foto para ficar sobre o piano da sala", sugeriu o príncipe, em referência aos 24 retratos que já repousam sobre o tampo do instrumento. Em seguida, emendou: "Espero que retornemos em breve ao Rio. Aqui somos bem recebidos e nos sentimos entre amigos".

 

 

   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS