- Anuncie
- Assine

   
 
Estilo // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Dudu é pop
O jeito de morar do estilista Dudu Bertholini é a cara da moda que ele faz: alegre, colorida e exuberante. O apartamento, num prédio dos anos 40, num dos bairros mais tradicionais de São Paulo, também é ponto de encontro de uma tribo criativa e moderna da cidade

Por Silviane Neno / Fotos: Marcelo Navarro / Ag.IstoÉ


Ao lado, a coleção de corujas exposta nas prateleiras da estante do quarto. Parede e teto da sala foram inteiros grafitados por um amigo artista plástico. Os sofás são cobertos por tecidos de antigas coleções da NEON


OS PORTEIROSOS DO PRÉDIO não entendiam nada. Desde cedo era um entra e sai de araras de roupas, maquiadores, modelos altíssimas, fashionistas apressados. O frenesi aumentou no final da tarde, quando começaram a chegar os primeiros convidados. Jornalistas de moda, estilistas, amigos, parentes e fotógrafos se espremiam na sala de estar do pequeno apartamento em higienópolis. era julho de 2003 e o endereço do estilista Dudu Bertholini seria o cenário do primeiro desfile da marca neon, recém-criada por ele e pela antiga colega de faculdade, rita Comparato.

Antes mesmo de o evento entrar para a história da moda brasileira, aquele já era o QG de uma trupe antenadíssima. laboratório de ideias e cenário de encontros de parte de uma turma moderna de São Paulo. Antes de decidir criar a neon com rita, Dudu foi stylist de Alexandre hercovitch, André lima e de marcas como Arezzo, Cori e triton. Seu estilo exuberante e colorido – que ele carrega em suas criações e nos indefectíveis caftãs, marca registrada de um profissional único – estão ali, impressos no apê onde mora sozinho há oito anos. Não completamente sozinho, desde que um casal de amigos enviou um gato de nova York, fruto da separação deles e da indecisão de quem deveria manter a guarda do bichano. O gato ficou para Dudu.

A casa não é exatamente das mais organizadas e nem Dudu um daqueles capazes de uma loucura por um objeto de design. tudo ali veio de alguma viagem, foi presente de alguém ou parte de algum desfile. ele é de fato desencanado, mas se orgulha do grafite que deu às paredes e ao teto da sala uma atmosfera de pop art e aquela pegada de um estúdio de Manhattan. Poltronas e sofás também foram revestidas com tecidos de antigas coleções da neon. Uma enorme espreguiçadeira de madeira foi trazida de um desfile da marca, assim como um manequim que fez parte de um editorial da revista Vogue. feitas as fotos, o objeto nunca foi devolvido e de tempos em tempos recebe novos adereços e fantasias.

Acima, detalhe da cozinha com intervenções em neon. As pernas do manequim também foram grafitadas. O armário de Dudu repleto de caftãs de várias coleções da marca dele e Rita Comaparato



1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS