- Anuncie
- Assine

 
 
 
Diversão & Arte // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Cinema
Quem vai ficar com Woody?

Jorge Carreon

 

Fotos: DISNEY / PIXAR

Em Toy Story 3, continuação da franquia que inaugurou o filão das animações, Buzz e Woody temem ser deixados para trás quando Andy for para a faculdade

Barbie vai sofrer com as novas crianças. Abaixo, Lobo, outro estreante na turma

 

Entre os novos personagens estão o Botão de Ouro (acima) e Twitch

 

ANDY NÃO É MAIS CRIANÇA. O garoto, cujos brinquedos fascinaram outros garotos mundo afora, prepara-se para ir à faculdade – assim como os meninos que viram o primeiro filme da franquia Toy Story, lançada em 1995. Agora, no terceiro longa da série, o astronauta Buzz Lightyear e o caubói Woody estão tensos com a possibilidade de serem deixados. Toy Story 3 entra em cartaz em 3D para mostrá-los sendo levados para um outro lugar cheio de outras crianças – tão arteiras que são capazes de deixar Barbie com a cara de Ken.

O filme, que traz 13 novos personagens, chega no momento em que o 3D ganha força e que as animações já se consolidaram como um filão de sucesso quase garantido. Shrek, a mais bem-sucedida delas, está em seu quarto filme, que estreou recentemente em primeiro lugar na bilheteria americana. E foi Toy Story que inaugurou esse momento, sendo o primeiro longa de animação feito totalmente por computação gráfica e primeira criação da Pixar, agora integrada aos estúdios Disney. O primeiro filme e sua sequência faturaram, juntos, mais de US$ 1,2 bilhão.

Não se pode dizer que a atração do público por animações seja apenas lúdica. Por trás de personagens fofos, há um time de profissionais de respeito, a começar pelas vozes de Woody e Buzz (de Tom Hanks e Tim Allen). Agora, a direção ficou a cargo de Lee Unkirch, que trabalhou nos filmes anteriores da franquia em outras funções e dirigiu o sucesso Procurando Nemo. A ele, juntam-se Darla K. Anderson (Carros), na produção, e Michael Arndt (Pequena Miss Sunshine) no roteiro. (Livre)

 

Brincadeira em números

Toy Story, lançado em 1995, é considerado o primeiro longa-metragem de animação feito totalmente por computação gráica. Foi o maior faturamento do ano, com US$ 554 milhões em todo o mundo, e foi indicado a 3 Oscar e 2 Globo de Ouro.

Toy Story 2 foi a primeira sequência de filme de animação a faturar mais do que o original, batendo recordes de bilheteria nos Estados Unidos, no Japão e no Reino Unido. Foi também o maior faturamento do ano (1999), com US$ 730 milhões em todo o mundo. Ganhou um Globo de Ouro.

Uma única sequência de Toy Story 3, a em que o ursinho Lotso dá as boas-vindas aos brinquedos, foi feita a partir de 500 desenhos criados por artistas de várias partes do mundo.

 

1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS