- Anuncie
- Assine

 
 
 
Trajetória // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Álbum
Romário - "O cara" da grande área

“Quando nasci, Deus olhou lá de cima e disse: ‘Esse é o cara’”. A afirmação de Romário até poderia causar controvérsias num País onde o louvável é ser humilde, mesmo quando se é craque. Mas a frase foi confirmada por milhões de pessoas que torciam por um esperado título na Copa do Mundo de 1.994. Baixinho que fez gol de cabeça, ele foi “o cara” responsável pela quebra do jejum de 24 anos. E, há menos de um mês do Mundial, é impossível não lembrar com saudades a afirmação do eterno camisa 11 da Seleção, personagem-símbolo do tetracampeonato. Com passagens pelo PSV (Holanda), Barcelona e Flamengo, Romário arriscou os primeiros chutes em um time da Vila Penha, no Rio de Janeiro, com o sugestivo nome de Estrelinha. Aos 19 anos, estreou como profissional no Vasco, para onde retornaria para entrar na história com seu milésimo gol, em 2007 – fato colocado em cheque por algumas contagens, mas atestado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol). É uma polêmica a mais no repertório do jogador, que já bateu boca com Pelé e Zico. Romário pendurou as chuteiras em 2009, quando entrou em campo pelo América do Rio, o time favorito do pai, Edvair, e do qual é administrador de futebol profissional.

 

 

 

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS