- Anuncie
- Assine

 
 
 
Estilo // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Alma baiana
Há dois anos Paulo Borges faz deste apartamento em Salvador o seu segundo endereço. É na Bahia que ele renova as energias para dias de trabalho intenso à frente das semanas de moda que levam a sua assinatura, no Rio e em São Paulo. Um lugar pensado para proporcionar descanso e conforto para o dono da casa e o filho, Henrique, de 4 anos, tão baiano quanto a alma do pai

Silviane Neno Fotos Marcelo Montenegro/Ag. IstoÉ

Você já foi a Bahia? Não? Então vá, como cantou Dorival Caymmi. E se por acaso for convidado para um almoço na casa de Paulo Borges, vá correndo. Eles são animados, concorridos e, como tudo o que acontece por lá, tem aquele jeito de festa sem hora para terminar, até porque ninguém quando chega ali, tem pressa de ir embora. Tudo bem que a simpatia do anfitrião conta muito e Paulo, quase um soteropolitano, já tem tantos amigos na Bahia quanto em São Paulo, onde mora a maior parte do ano. Mas a outra explicação, para além de seu charme pessoal, é o lugar que ele escolheu chamar de seu.
O apartamento fica no corredor da Vitória, região nobre de Salvador. É uma longa avenida onde a copa das árvores se fecham formando um grande túnel verde. Isso de um lado da rua. Do outro, dos fundos (e que fundos!) as construções se voltam para a Baía de Todos os Santos. Para entender o hype, é o endereço mais privilegiado da Bahia. No mesmo corredor moram Ivete Sangalo, o designer de joias Carlinhos Rodeiro e boa parte do PIB baiano.

"A vista eterna para a baía é indescritível. De manhã, tarde, noite, com lua cheia, é sempre deslumbrante", derrete-se Paulo. Desde que caiu de amores pela cidade há 11 carnavais, ele cismou que um dia teria um apartamento ali. O primeiro investimento em terras baianas foi uma casa na ex-hippie praia de Arembepe, no litoral norte, gostosa, simpática.
Dois anos atrás, Paulo encontrou o que procurava em Salvador em um prédio dos anos 1960. Convocou o arquiteto, baiano e amigo, Marlon Gama e deu carta branca para as mudanças. "Ele pediu apenas que eu derrubasse um dos quartos para aumentar o living e muito espaço e conforto para o Henrique", conta Marlon. A reforma consumiu quatro meses e o décor foi providenciado em uma semana. Uma das exigências de Paulo foi que tudo fosse de designers genuinamente brasileiros. Assim, Marlon provocou diálogos interessantes como a premiadíssima poltrona "mole" de Sérgio Rodrigues e as esculturas de Tati Moreno. "A experiência com Marlon foi maravilhosa", diz Paulo. "Ele tem um olhar criterioso muito parecido com o meu."

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS