- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Oscar 2010
A mulher venceu a guerra
Avatar e Guerra ao Terror colocaram em lados opostos James Cameron e Kathryn Bigelow, que já foram casados. Ela levou a melhor e, num momento inédito, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas deu o Oscar a uma diretora

O terror de avatar

Um filme independente derrotou a superprodução de maior arrecadação de todos os tempos. Guerra ao Terror levou os dois principais prêmios da noite: o de melhor filme e o de direção para Kathryn Bigelow, primeira mulher a ganhar a estatueta nessa categoria. E, se ela tinha alguma conta a acertar com o ex-marido James Cameron, diretor de Avatar, ganhou a noite. O filme dela levou seis das nove estatuetas a que concorria. Avatar, indicado na mesma quantidade de categorias, ficou com três.

 

 

Piadas engraçadas, finalmente

A dupla Steve Martin e Alec Baldwin finalmente promoveu momentos de humor durante a cerimônia - que sempre tentou ser engraçadinha, mas andava pecando pelo excesso. Sem muitos números musicais, a transmissão ganhou algum dinamismo - mesmo que os agradecimentos a equipes e famílias, que deveriam ter sido evitados a pedido da organização, tenham permanecido. Os dois atores apareceram pouco e foram objetivos, protagonizando bons momentos da longa (mais de três horas) premiação, como na sátira ao filme Atividade Paranormal. Animaram a maioria, menos George Clooney, que ficou com cara de poucos amigos durante toda a noite. Mais mal-humorado do que ele, só Sean Penn, que transformou crítica em grosseria com as candidatas a melhor atriz, categoria em que ele entregou o prêmio, ao falar que não concordava com a escolha das cinco.


Um empurrãozinho para o lado certo

Christoph Waltz, ganhador como ator coadjuvante por Bastardos Inglórios, disse que pensava em fazer as coisas de uma maneira e que, graças ao diretor Quentin Tarantino, foi levado para outro lado. E Mo'Nique, melhor atriz coadjuvante por Preciosa, também agradeceu o empurrãozinho do marido, que lhe disse que "às vezes, é preciso deixar de fazer o que é popular para fazer o que é certo". Outro recado da atriz que fez o público aplaudi-la de pé foi o agradecimento à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que promove o Oscar, por premiar atuações e não posições políticas.

1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS