- Anuncie
- Assine

 
 
 
Exposição // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


"Tudo aqui é o meu retrato"
Roberto Carlols visita mostra em homenagem a seus 50 anos de carreira onde estão expostos objetos pessoais e seus carros

Aina Pinto - Fotos: Carlos Prates/Ag.IstoÉ

Os carros, paixão do cantor, ganharam destaque na exposição

ATÉ SEGUNDA-FEIRA 1º, o prédio da Oca, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, tinha apenas a estrutura do que se transformou na exposição Roberto Carlos - 50 Anos de Música, aberta na sexta-feira 5. Como faz com seus discos anuais, o Rei demorou a entregar os objetos que estão no local. Ele mesmo os escolheu - incluindo presentes de fãs, como corações de pelúcia e bonequinhos - empacotou-os e dirigiu do Rio a São Paulo para deixá-los no local. Ele acompanhou a montagem por maquetes e, o resultado final, viu na tarde do dia da abertura, quando caminhou pela exposição acompanhado apenas de alguns amigos. "É difícil dizer o que retrata melhor (a carreira). Na realidade, tudo aqui é meu retrato", disse. "Não me surpreendo (de ver o tamanho da obra). Eu me comovo. Fico emocionado de olhar para a minha carreira dessa forma."

A ideia da exposição, com curadoria de Marcello Dantas, surgiu há oito anos e era para ser apenas com carros. O projeto cresceu e acaba mostrando todas as paixões do Rei, incluindo as mais de 900 músicas e fotos de momentos com a família e com suas mulheres. Mas os carros ganharam lugar de destaque. Logo na entrada, há um calhambeque azul. No meio do 1º andar, uma limusine. E, no dia mesmo da abertura, Roberto teve uma ideia. Achou que o Escort preto, de vidros escuros, com o qual costuma passear anônimo por São Paulo, estava triste na garagem. Depois de chegar ao Ibirapuera, ele pediu ao motorista que fosse socorrer o carro e o levasse para a exposição. "Há algumas coisas que ainda estão para chegar. Não conseguimos trazer meu primeiro carro, que foi muito importante para mim, e o Cadillac. Mas garanto que eles estarão aqui", contou Roberto.

 

 

1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS