- Anuncie
- Assine

 
 
 
Estilo // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Casa
Manhattan connection
A mistura de sotaques, traduzida na arquitetura e no décor, faz da casa de Fabio Storrer e Helena Augusta, em São Paulo, um espaço cheio de bossa cosmopolita

Silviane Neno - Fotos Marcelo Navarro/ Ag. IstoÉ


Na foto maior, FABIO E HELENA na sala. Na coluna central, o medidor de Le Corbusier emoldurado ganha status de obra de arte. Abaixo, a luminária de Ingo Maurer faz dupla com o bilhetinho escrito por Helena aos 7 anos para o avô. Em cima da lareira, a cabeça de alce é inflável e foi comprada numa papelaria em Williamsburg, em Nova York. O tapete é da designer Lina Miranda, da Square foot e a cadeira da Vitra

A casa da empresária Helena Augusta, dona de uma respeitada agência de comunicação, e do arquiteto Fabio Storrer caberia perfeitamente num filme sobre histórias de amor em Nova York – não fosse o endereço, numa das ruas mais charmosas do Jardim Paulistano, em São Paulo. Os dois são jovens, bonitos, trendys e têm uma ligação toda especial com Manhattan. Fabio nasceu nos Estados Unidos e veio menino para o Brasil. Helena também já morou em Nova York e sempre que pode, passa pequenas temporadas por lá. Há 11 anos Fabio abriu um restaurante na cidade americana. O Casa faz uma comidinha brasileira esperta no melhor estilo comfort food. Rapidamente virou point da turma moderna, frequentado por nomes como Francisco Costa, Sarah Jessica Parker e Bebel Gilberto, que vira e mexe aparece para degustar a moqueca de frutos do mar.

O cardápio do restô do número 72 da Bedford Street foi cuidadosamente enquadrado numa moldura de acrílico e dá bossa à cozinha paulistana do casal. Bossa, ressalve-se, é o que não falta. O arrojo é fruto do talento de Fabio como arquiteto. Com escritório em São Paulo e nos Estados Unidos, foi ele quem fez o projeto de reforma da casa de 1950. Quando Mathias, o filho, anunciou que estava a caminho, a dupla decidiu que chegara a hora de deixar a antiga casa de Helena na rua Rússia. Assim, eles saíram à procura de um imóvel nas imediações que coubesse nos planos e no imaginário da família que crescia.

A escolha apontou para a casa de 220 metros quadrados com uma boa área nos fundos. Um luxo nos dias de hoje. Fechado o negócio, Fabio partiu para a reforma que consumiu seis meses. O plano era conservar ao máximo as características da construção. O piso original foi mantido, janelas e até as grades. A lareira ganhou contornos mais retos e modernos e a cozinha uma abertura para um pequeno jardim suspenso onde ele cultiva alecrim, hortelã, salsinha e tomate. Tudo é usado na cozinha, o lugar dos almoços e jantares animadíssimos sempre com os amigos como testemunhas. Outra bela sacada foi o solarium, construído onde antes simplesmente funcionava uma espécie de garagem aberta. Ali, o sofá de borracha branca funciona perfeitamente para dias de sol e chuva.

 

 

 

1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS