- Anuncie
- Assine

 
 
 
Diversão & Arte // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Nós, gatos, já nascemos ricos
O elenco de 38 artistas canta e dança durante o espetáculo inteiro

Superprodução Cats aporta no Brasil com figurinos, coreografia e cenários originais, a exemplo de outros musicais como O Fantasma da Ópera e Les Misérables

EM MARÇO DE 2009, um grupo de criativos do West End londrino e da Broadway aportou no Brasil com a missão de testar 600 atores. Vieram constatar se no País era possível realizar Cats, o segundo musical mais visto no mundo.

Apesar de os brasileiros terem adquirido um grande knowhow nesse gênero nos últimos anos, a montagem figurava como um desafio. “É um elenco grande que tem de ser completo, pois o espetáculo é todo coreografado. Todo mundo canta e dança o tempo inteiro”, explica a produtora Almali Zraik.

Com o resultado positivo das audições, a peça criada por Andrew Lloyd Webber finalmente estreia na quinta-feira 4, em São Paulo. “Estamos fechando a trilogia, pois já fizemos O Fantasma da Ópera e Les Misérables, o primeiro e o terceiro musical mais popular do mundo, respectivamente”, comemora Fernando Altério, presidente da Time for Fun, empresa responsável pela produção. Mais uma vez, figurino, cenário e até as coreografias são 100% originais. “É tudo autêntico. Não fazemos adaptações”, lembra ele.

A única versão acontece na música, que ganha letras em português. Para tal empreitada foi convidado o cantor e compositor Toquinho, que pela primeira vez realizou um trabalho desse tipo. “Foi uma aventura. Precisava de rimas e métricas perfeitas e as frases tinham lugares certos para serem colocadas, para ‘linkar’ com os movimentos de dança”, explica o músico. “Sou acostumado a fazer músicas mais soltas, onde posso tirar um verso daqui e colocar ali”, completa ele, que chegou a passar noites em claro concluindo as canções.

Para ajudar a contar a história do bando de gatos de rua liderado pelo sábio Old Deuteronomy (Saulo Vasconcelos) foi chamada uma outra debutante em musicais: a cantora Paula Lima. Ela aparece como a rejeitada gata Grizabella, que interpreta a célebre canção “Memory”, o clímax do espetáculo. (Livre)

 

Teatro Abril – av. Brigadeiro Luis Antônio, 441, Bela Vista, tel. (11) 4003-5588. Até 30/05

 

 

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS