- Anuncie
- Assine

 
 
 
Capa // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Touché,Priscila!
Após uma pausa estratégica no ano passado, a atriz Priscila Fantin começa 2010 em ritmo acelerado, com novela na Globo, peça em cartaz no Rio e fôlego extra para encarar novos desafios

Macedo Rodrigues e Fabiano Mazzei

Foto Robert Schwenck
Foto Robert Schwenck
Vestido Gaina Pulseira Alexis Bittar para Alberta Sandálias Schutz

Do dia 1º de janeiro até esta semana, Priscila Fantin já "perdeu" cerca de 18 quilos da sua bem definida silhueta com 1,70m e 57 quilos. Regime? Promessa? Nada disso, trabalho mesmo. O peso perdido - e devidamente recuperado com uma dieta balanceada - é por conta de sua peça A Marca do Zorro, no Teatro Leblon, no Rio, onde queima perto de 1,5kg toda vez que sobe ao palco. Essa dedicação no trabalho salta aos olhos depois de um ano que Priscila tirou como sabático, entre estudos de francês e de edição de imagens em Paris e nenhum trabalho na tevê.
Na peça, a atriz, nascida no interior de São Paulo e criada em Minas Gerais, faz a personagem Esperança e contracena com o ex-namorado Thierry Figueira, no papel principal. No roteiro, lutas de espada, números de dança flamenca e sequências de ação com saltos aprendidos no Le Parkour, esporte francês que consiste em manobras acrobáticas para superar obstáculos urbanos. E tudo isso de quinta a domingo. Ufa!

Nos demais dias da semana, Priscila tem relaxado de uma forma inusitada: trabalhando mais. Pois é, ela aceitou encarnar Nara na novela Tempos Modernos, recém-estreada na faixa das 19h da Rede Globo, com a condição de não ser o papel principal. "Ser protagonista desgasta muito, é cansativo. É uma pressão muito grande e, agora, estou fazendo a peça."
Em entrevista exclusiva à Gente, ela fala de como foi difícil o começo da carreira, do desgaste físico com a peça e do apetite insaciável depois de cada apresentação; do namoro discreto com o biólogo Miguel de Moraes, da dificuldade em expressar seus sentimentos, de vaidade e da recusa em posar nua. E, apesar do rosto angelical, ela avisa: "De frágil eu não tenho nada."

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS