- Anuncie
- Assine

 
 
 
Capa // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


"É o presente mais lindo que Deus me deu"
Em seu apartamento em Salvador, Glória Maria fala sobre a emoção de passar o primeiro Natal com as filhas, maria e Laura, conta a história do processo de adoção, prepara a volta à tevê e diz que, no momento, amor não está nos seus planos

Rosangela Honor FoTos Daniela Dacorso/ Ag. IstoÉ

Glória e as meninas Maria e Laura, junto à árvore de Natal repleta de presentes: "Vou ter um Natal de sonhos"

É quase meio dia e Glória Maria interrompe a entrevista para fazer um alerta à babá que cuida de Maria e Laura. -"Vamos ver a comidinha delas, daqui a pouco está na hora da natação, não esquece de ver as roupinhas também", diz a jornalista que, antes de voltar a conversar, faz gracinha para as filhas, que se divertem assistindo ao vídeo Xuxa Só Para Baixinhos com os brinquedos espalhados sobre o tapete da espaçosa sala do apartamento de Salvador.

A cena, improvável até um ano atrás, se transformou em rotina desde maio, quando a jornalista conquistou a guarda provisória das duas irmãs. Como numa gravidez, o processo de adoção durou nove meses. "Dá para pensar em outra coisa?", pergunta ela, que agora atende a um chamado de Laura, que solicita a sua atenção. Glória está acertando os últimos detalhes para a sua volta ao Rio e ao trabalho após dois anos de licença, um deles morando na capital baiana. Totalmente dedicada às filhas, assegura que ainda não sabe qual será a sua função na Globo.

"Combinamos que até o dia 1º de janeiro eu estou de férias, então, não quero pensar em trabalho até lá". De short jeans, blusa e rosto lavado, a jornalista não esconde o quanto está confortável no papel de mãe. Sua principal preocupação na última semana era cuidar de cada detalhe da festa que organizou para comemorar os 2 anos de Maria e o primeiro aniversário de Laura, no domingo 20, no Rio. Com os olhos marejados, ela fala da emoção de passar o primeiro Natal com as pequenas e do Réveillon em Florianópolis.

Glória dá o almoço de Maria, com a pequena Laura no colo. "Eu sempre fui mãezona"

Este Natal será o primeiro com suas filhas. Que significado essa data tem?
Natal nunca foi uma coisa bem resolvida para mim, nunca pude dizer que Natal fosse uma coisa esplendorosa. Mas eu nunca pensei que pudesse ter um Natal dos sonhos e esse está sendo. Se eu pudesse sonhar e pedir a Deus que me desse um Natal de presente, se pudesse imaginar cada detalhe, esse Natal seria o que vou passar com as minhas filhas. Vou ter um Natal de sonhos.

Quando pediu licença da Rede Globo já tinha o projeto de adotar uma criança?
Eu nunca quis ter filho, nem mesmo adotar. Achava que não tinha grandeza para isso. Quando parei, não imaginava tudo isso que aconteceu. Queria olhar para mim e um ano não dava. Precisava de dois anos para escrever meu livro, ir a lugares que eu nunca tinha ido ou que tivesse ido, mas sem ter uma câmera, queria ter o meu olhar de pessoa e não o de profissional. Queria gravar um disco, queria fazer trabalho social com crianças abandonadas.

E como surgiu a adoção?
Passei um Réveillon maravilhoso em Punta del Leste e quando cheguei resolvi fazer um trabalho social com crianças abandonadas. Vim para o festival de verão da Bahia e vi muitas crianças abandonadas nas ruas. Fui ao juizado de menores, pedi uma relação de abrigos, expliquei que tinha a intenção de fazer esse trabalho. Fui ao primeiro, segundo, terceiro e num deles eu encontrei a Maria. Quando vi aquela menina alguma coisa no meu coração se movimentou, comecei a olhar mais para ela e quis saber a história dela. Quando estava conversando com a assistente social, a Maria entrou no colo de uma mãe social. Eu a chamei e ela pulou no meu colo. Eu entendi que alguma coisa na minha vida tinha mudado ali, naquele momento. Não tive dúvidas de que aquela menina era minha.

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS