- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Álbum
Hebe Camargo
Uma gracinha

Saindo do cabeleireiro, Hebe Camargo estava a bordo de um belo carro que conquistou com seu trabalho, quando viu um grupo de mulheres participando de uma passeata na Praça da Sé (São Paulo). Observou a euforia pela janela e achou bonito. Sem nem mesmo saber do que se tratava, decidiu apoiar a manifestação: "Acabei à frente da greve". A história relatada pela apresentadora em 2003 numa entrevista à Gente mostra um pouco da personalidade de Hebe: a vaidade, o trabalho, a impulsividade.

Esses traços se fazem presentes nos 65 anos de carreira, iniciada aos 15, na Rádio Tupi. Na tevê, está desde a inauguração, em 1950 - ou quase. É famosa a história de que ela, chamada a cantar o hino da televisão, foi namorar e deixou a empreitada para Lolita Rodrigues. Na tevê, chegou a ter 72 pontos de audiência na Record, lançou a moda das apresentadoras loiras, está há 23 anos no SBT. Em 1995, entrou no palco com um bolo coberto por moscas, representando o Congresso e alguns políticos. Teve de gravar seus programas seguintes.

Voltou a apresentá-los ao vivo, mas passou pela situação outras vezes. Com o sofá branco, as joias e a espontaneidade, segue à frente da atração. E expandiu as áreas de atuação. Está no cinema, em Xuxa em O Mistério de Feiurinha.

Fotos ARQUIVO AG. ISTOÉ, ROBERTO NEMANIS/SBT, AG.

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS