- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Uma Moda Social
A estilista Isabela Capeto apoia o projeto Uerê no Rio de Janeiro e coloca em sua loja bolsas desenhadas com 100% de renda revertida para a instituição

Luciane Angelo

Fotos Murillo Constantino/Ag. IstoÉ
“Sempre damos uma brecha na nossa produção para ajudar nesses projetos que são tão valiosos”, diz a estilista
Fotos Murillo Constantino/Ag. IstoÉ

Sensibilizada com a proposta do projeto Uerê, que atende 420 menores no morro da Maré, no Rio de Janeiro, há um ano, Isabela Capeto resolveu apoiar essa causa. Como? As crianças criaram desenhos para ilustrar sacolas que são vendidas na loja da rua Dias Ferreira, no Leblon. O cliente pode levar suas compras embaladas no simpático acessório que custa R$ 10 com o valor total revertido para a instituição. O último depósito foi de R$ 630 e ela espera arrecadar mais, até o final do ano. “Temos essa consciência social aqui no ateliê. Sempre damos uma brecha na nossa produção para ajudar nesses projetos que são tão valiosos. O que me deixa triste é que a maioria das pessoas ainda não se interessa por levar o item e ajudar essas crianças. O lucro não vai para mim e sim para elas”, conta a estilista, que abriu uma nova loja em São Paulo, na terça-feira 24. As sacolas são oferecidas nesta unidade e no espaço da rua da Consolação, também na capital paulista.

Outra ideia que Capeto vai colocar em prática na próxima coleção, a de inverno, são camisetas com estampas desenhadas pelas crianças. “Ainda não fiz a seleção de looks, mas provavelmente eu as colocarei na passarela.”
Criado por Yvonne Bezerra de Mello, o projeto Uerê existe há 11 anos com a proposta de unir arte e moda. A instituição oferece educação a crianças e adolescentes dos 4 aos 18 anos, que já sofreram alguma violência. Há também uma parceria com a rede de hotéis Othon, de Álvaro Bezerra de Mello, marido de Yvonne, que oferece estágio para os jovens entre 15 e 18 anos.
Além do Uerê, a estilista é parceira de cooperativas de bordadeiras do Rio de Janeiro. “Trabalho com elas desde sempre e é uma maneira de elas ajudarem no orçamento da família. Todas produzem em casa. Para se ter uma ideia já recebemos roupas sujas de feijão, já que elas se dividem entre criar os filhos, tarefas domésticas e a atividade artesanal.”

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS