- Anuncie
- Assine

 
 
 
Televisão // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Vidas cruzadas
Drop Dead Diva recorre à formula dos "corpos trocados" para fazer humor

Fotos DIVULGAÇÃO
A avoada Deb volta à Terra como a advogada Jane (à dir.)

ESTREIA DO CANAL SONY na segunda-feira, às 22h, Drop Dead Diva chega cercada de expectativas. A comédia inspirada em O Céu Pode Esperar (1978) recebeu elogios quando lançada nos Estados Unidos, e é produzida por Joshua Berman (de C.S.I.).

Como no filme da década de 70, há uma troca de corpos. Deb (Brooke D'Orsay), uma garota avoada que pretende ser modelo, sofre um acidente de carro ao dirigir falando ao celular e usando o retrovisor para passar batom. Nos portões do céu - modernoso, misto de banco e shopping center - não se conforma em ter morrido e aperta o botão para voltar à Terra.

Ela volta, mas no corpo de Jane (Brooke Elliot), uma advogada inteligentíssima e gorda. Deb vai ao próprio enterro e percebe que nada fez além de pensar em si mesma, e descobre que o namorado, Fred (Ben Feldman), era realmente apaixonado por ela. Ela usa o fato de ser Jane para mudar as coisas, atuando de maneira pouco ortodoxa como advogada. E reencontra Fred, que vai trabalhar no escritório. Tem um quê de Samantha Who? e de Legalmente Loira, mas está mesmo para Ugly Betty, porque a personagem central é interessante e a atriz que a interpreta, ótima.

Aina Pinto

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS