- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Álbum
Brigitte Bardot
Os 75 anos do mito

Scarlett Johansson disse que se inspirou em Brigitte Bardot - mais precisamente, no dueto da francesa com Serge Gainsbourg - para fazer o seu disco, Break Up. Scarlett é considerada uma das mulheres mais bonitas do cinema atualmente. Bardot, que completa 75 anos na segunda-feira 28, é uma lenda.

Não só pela beleza, mas também pela ousadia. Já em seu segundo filme, A Moça sem Véu (1952), dirigida pelo marido Roger Vadim, fez cenas de biquíni que provocaram a ira do pai da adolescente de 17 anos. Bardot seguiu fazendo um filme atrás do outro, sem sucesso, até que veio a nouvelle vague. Sua personagem, uma Lolita ousada, em E Deus Criou a Mulher (1956) a transformou em BB, o símbolo sexual francês.

Em 1957, casou-se com o ator Jacques Charrier, com quem teve o único filho, Nicolas. Teve outros dois casamentos, namorou Gainsbourg e, em 1973, deixou o cinema. Virou defensora de animais, foi processada por racismo, mas não deixou de ser reverenciada pelo que representou. Como no caso de Scarlett. Ou da atriz francesa Laetitia Casta, que a interpretará em filme sobre a vida de Gainsbourg. E se hoje Búzios (RJ) aparece como uma cidade cheia de charme em Viver a Vida, muito disso se deve a BB, que passou por lá nos anos 70

Fotos ARQUIVO AG.ISTOÉ e SOUTHERN PRESS

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS