- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Estilo Casa
A casa de Isabella Giobbi
No seu espaçoso apartamento nos Jardins, a arquiteta e estilista mostra que moda e arquitetura podem ser reunidas numa mesma linguagem

POR SILVIANE NENO FOTOS ROGÉRIO ALBUQUERQUE/AG. ISTOÉ


Isabella e a filha Catarina

Quando Isabella Giobbi entrou no apartamento de 240 metros quadrados numa das ruas mais movimentadas dos Jardins, região nobre de São Paulo, imediatamente se apaixonou pelo piso, de taquinhos marchetados."O desenho era lindo, fiquei encantada", lembra. Depois de uma pequena reforma e da ampliação do quarto principal, Isabella mudou para lá em companhia da filha, Allegra. Tempos depois a família cresceu. Do casamento com o empresário Joaquim Guanaes nasceu Catarina, hoje com um ano e meio - mas Isabella decidiu permanecer no mesmo endereço. Afinal, o espaço oferecia o conforto necessário e - eis o segredo - tinha a cara da dona.

Isabella tem aquele olhar que sabe identificar numa caótica loja no Marrocos o objeto mais precioso da coleção. É bom gosto lapidado a partir das experiências que viveu, dos lugares por onde passou, da curiosidade e dos dez anos passados em Milão, onde estudou moda e arquitetura. De volta ao Brasil, em 1998, acabou induzida a criar um ambiente para a Casa Cor. Foi um sucesso.

Daí em diante, não parou mais. Foram projetos para restaurantes, lojas e residências particulares. E a moda sempre ali, à espreita, silenciosa e onipresente. Há quatro anos ela decidiu abrir a marca que leva o seu nome. Suas roupas, extremamente femininas, têm estilo contemporâneo - tal qual sua casa. A maioria dos móveis e objetos veio da Itália. Isabella gosta daquilo que ela mesmo chama de peças definitivas. Não se trata de móveis fixos, quase presos ao chão. São definitivas porque não saem de casa, mas nunca param quietas. "Às vezes acordo de madrugada e mudo tudo de lugar", diz. São peças eternas pela qualidade, pelo valor artístico e emocional. Luxo para ela são toalhas enormes, macias como as portuguesas da Trousseau. Luxo é acordar tarde no domingo e receber os amigos para um brunch. A mesa, claro, estará impecável com as louças em azul e branco que Isabella vai comprando uma a uma nas muitas viagens pelo mundo e até na feira da Liberdade, em São Paulo. Os talheres são de prata, herdados da bisavó, e os jogos americanos de palha. High-low com vida e história.

O aparador sob o janelão acomoda as dezenas de livros de arte e moda

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS