- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







O Coração do Homem- Bomba Volume 2
Seqüência de disco "sem conceito" confirma inspiração plural de Zeca Baleiro

Foto: DIVULGAÇÃO
O cantor faz música mais introspectiva e igualmente globalizada

ENQUANTO MUITOS CANTORES diluem suas obras em redundantes registros ao vivo, Zeca Baleiro confirma a inspiração profícua na seqüência de O Coração do Homem-Bomba, álbum duplo em que ele reuniu, sem a preocupação de forçar um conceito, "um amontoado de canções acumuladas ao longo de alguns anos", como explica no texto que escreveu para apresentar o disco.

O recém-lançado Volume 2 reedita o êxito do primeiro. O caráter é mais introspectivo, porém o sotaque globalizado é o mesmo. Baleiro dispara petardos certeiros, pautado pela habitual diversidade rítmica.

A safra do Volume 2 inclui reggae, rock, maxixe e um tema de inspiração africana, "Na Quitanda". O artista reverencia Odair José com a canção cool "Como Diria Odair". No outro extremo, faz parcerias com compositores da nova geração indie, como o antenado Wado, co-autor da balada "Era".

Para quem curte letras cheias de trocadilhos, a pedida é "Pastiche", em que envereda pelo maxixe. E um aviso: há faixa-bônus escondida no fim do disco, "Eu Detesto Coca Light", parceria com Chico César entoada por Baleiro no estilo dos cantadores nordestinos. Definitivamente, Zeca Baleiro não é light. Mauro Ferreira

ESTRELAS:

Top 5 Paula Toller

Cantora conta quais os discos que fizeram sua cabeça. "Sem ordem de importância, porque cada um veio em um momento diferente. Não são os únicos, mas são significativos", diz.

"Fruto Proibido" Rita Lee & Tutti-Frutti

"I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!" Janis Joplin

"Pretenders e Pretenders II" The Pretenders

"Minas e Geraes" Milton Nascimento

"Beethoven Sonatas" Claudio Arrau

Sonoras

 

 

Day & Age, The Killers O grupo se associa ao produtor Stuart Price - que pilotou Confessions on a Dance Floor, de Madonna - e apresenta um terceiro álbum de sonoridade mais retrô e menos visceral do que a do anterior, Sam's Town. Há referências aos anos 80 e a David Bowie.

 

 

 

 

 

Arctic Monkeys at the Apollo Feita em película, a gravação capta show de dezembro de 2007, da turnê do segundo álbum, Favourite Worst Nightmare. O diretor Richard Ayoade investiu na beleza plástica, sem a preocupação de reproduzir a pegada incendiária do Arctic Monkeys. O estilo conta mais do que a música.

 

 

 

 

 

Nosso, Paula Toller O primeiro DVD da carreira solo de Paula Toller investe na comunhão com os fãs. Daí o título Nosso, anagrama de SóNós, nome do CD que inspirou show filmado por Lui Farias, marido da cantora. Cada vez mais bonita e afinada, Toller vai de Caetano Veloso ("Mamãe, Coragem") a Rita Lee ("Saúde"). Sai também em CD. (M.F.)

 

 

 

 


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS