- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







As paixões de Ricardo Pereira
Adaptado ao estilo de vida brasileiro, o ator português diz ter se tornado um bom "Brasiguês", revela suas preferências em cada país e colhe elogios como um dos protagonistas de Negócio da China

TEXTO RENATA MENDONÇA

PAULO JARES/ AG.ISTOÉ

Há quatro anos, Ricardo Pereira desembarcou timidamente no Rio de Janeiro para atuar em sua primeira novela, Como uma Onda. O tempo passou e o português de sorriso largo, fala mansa e um belo par de olhos azuis parece totalmente adaptado ao estilo de vida brasileiro. Ele está morando com a namorada, a artista plástica portuguesa Francisca Pinto, no charmoso bairro do Leblon, na zona sul carioca, gosta de aplaudir o pôr-do-sol na praia do Arpoador, tomar água-de-coco na orla e não dispensa um chope com os amigos. "Gosto de curtir os prazeres da vida. Virei um bom 'brasiguês'", brinca ele, que também adora badalar pelos bares da Lapa, reduto boêmio da cidade, e assistir a jogos de futebol no Maracanã. Ricardo mantém amigos e casa no Rio, mas garante que nunca abandonará Portugal. "Apenas me equilibro entre os dois países", diz o ator que faz questão de dividir com os patrícios seu amor pelo Brasil através do Episódio Especial, programa no mesmo formato do Vídeo Show que apresenta pela SIC, emissora portuguesa afiliada da Rede Globo.

Feliz com sua estada por aqui e com o sucesso de seu personagem em Negócio da China, o ator de 29 anos acalenta o sonho de conquistar a dupla cidadania. "Mas por causa da burocracia, ainda é um sonho difícil e distante", lamenta. Por enquanto, saboreia os elogios como um dos protagonistas da trama das seis. Até o autor Miguel Falabella tem elogiado publicamente o desempenho do ator. "É muito bom quando a gente corresponde àquilo que um autor idealizou", diz Ricardo, que fica sem jeito ao falar sobre a química em cena com a colega Grazi Massafera. Com ar respeitoso, diz que a atriz é belíssima, reconhece que a empatia entre os dois funciona na tevê, mas diz que é o público que deve falar sobre isso. "Conversamos muito, batemos muito texto e somos amigos fora da novela. O Cauã (Reymond, namorado de Grazi) é um dos meus melhores amigos", garante. Dividido entre Brasil e Portugal, Ricardo conta o que mais aprecia no estilo de vida daqui e sobre os prazeres de além-mar.

Fotos: DIVULGAÇÃO

 

 

 

 

Trilha sonora cá e lá
"No Brasil, gosto de Caetano Veloso, que é excelente, um intérprete. Ele faz poesia e não apenas música, quase que recita cada verso. Lá, amo Mariza. Ela é o expoente da música portuguesa que é o fado, mas que traz uma mistura de forró, flamenco e de outros vários ritmos. Faz uma mistura do tradicional com coisas novas, que é muito bom"

 

 

 

 

 

Delícias dos dois países
"Aqui, gosto de comer churrasco com arroz, feijão e molho à vinagrete. Lá, adoro o toucinho do céu. Os doces conventuais nasceram em Portugal e não tem como serem iguais quando feitos em outro lugar. Quanto a restaurante, no Brasil tenho que me render ao Bira de Guaratiba (no Rio): tem uns pastéis deliciosos, uma moqueca de frutos do mar ótima e uma vista maravilhosa. Quem for a Portugal, tem que conhecer o Mar à Vista. É um restaurante em Ericeira, onde se come marisco"

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS