- Anuncie
- Assine

 
 
 
Paulo Borges // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Brazil's next top now!

De cara, pela postura e pelas fotos, podemos perceber o amadurecimento da produção deste reality que está ocupando o seu espaço na tevê brasileira. Seguro e cheio de si, este grupo de experts no assunto inicia esta semana mais uma temporada em busca de uma possível sucessora para Gisele Bündchen. Mas seria isso possível? Descobrir e moldar meninas para uma carreira de modelo, para que elas possam se transformar em tops, com certeza. Mas alguém que possa substituir a über model Gisele? Tarefa muito difícil! Quase impossível! Pelo menos, esta ainda é uma afirmação unânime no mundo da moda. Como quem já participou do processo (fui jurado na primeira temporada), posso garantir que é um grande barato poder ver, de fato, como estas meninas se esforçam para chegar lá. E como isto reflete a força da idéia do programa e desta profissão, que não só no Brasil, mas no mundo todo, se tornou uma grande possibilidade de realizar o sonho de “Cinderela!” Então, vamos acompanhar de perto e ver o que vai rolar...

DUDA MOLINOS
Alguma modelo no mundo segura a onda sem make-up? Qual?

Eu acho que várias seguram. É muito libertador quando uma modelo consegue ser ao mesmo tempo linda e vendável sem ter que usar maquiagem. A Gisele Bündchen é assim, a Raquel Zimmermann também.

O que é mais difícil: deixar uma modelo "bonita", ou deixá-la "feia" para um trabalho?
Vai depender do briefing do trabalho. Muitas vezes, para enaltecer um vestido de luxo, a ausência daquela beleza “acadêmica” dá um aspecto de modernidade. O contraste entre o belo e o feio pode ter um efeito contemporâneo ótimo. Também depende da modelo: ela tem que ser disponível, tem que gostar do trabalho, se envolver, entender o contexto.

Qual é a tendência de beleza estética (formato de rosto, cabelos, pele, olhos) do momento?
Existe uma estranheza que é fundamental para as imagens contemporâneas. Hoje em dia uma top model não precisa ser fisicamente perfeita, nem a Gisele é perfeita. A top tem que ter peculiaridades que a tornem única. Antes da beleza estética, valores como atitude, grandeza e excelência profissional são mais importantes. Como disse, existe hoje uma vontade do mercado editorial por modelos com uma beleza esquisita, mas isso é só um momento, não significa que as porta-vozes desse movimento se tornarão top models.

Os seus votos no BrNTM serão baseados no mercado nacional ou no estrangeiro?
Eu enxergo a indústria da moda como algo globalizado. Não fiz escolhas pensando em Brasil ou mundo, mas sim pensando na possível trajetória de uma modelo para se tornar uma top. Existem dois tipos de modelos: as normais e as tops. As normais funcionam para determinados trabalhos, em determinadas épocas e para determinadas marcas. As tops funcionam para tudo. Meus votos foram baseados nessa divisão.

Qual a sua imagem como jurado do programa?
No BrNTM temos que julgar as pessoas de maneira recorrente, porque se trata de um programa eliminatório. E temos que fazer isso de maneira justa e correta. Eu fiquei conhecido como o “sincero” da turma, porque levo o trabalho muito a sério e, portanto, digo coisas que não são fáceis de se ouvir. Sou muito justo, mas muito focado no profissional.

ERIKA PALOMINO
Em termos de passarela e modelos, do que a moda está precisando mais nesse momento?

A moda está precisando de modelos com mais personalidade, mais atitude (recuperando essa palavra anos 90 mas que volta à moda agora), não apenas bonitas e muito menos “perfeitas”.

Continuando a pergunta acima, essa lacuna é preenchida pelo Brazil's Next Top Model?
Acredito que sim. Nesta edição temos algumas meninas que têm essas características, o que deixou a nós, jurados, bastante contentes!

Das 20 finalistas dessa edição, quantas têm potencial para “acontecer” no mercado da moda?
Eu diria que pelo menos cinco vão trabalhar com certeza!

Qual experiência da temporada anterior você traria para esta?
De que se trata de um programa de entretenimento e não apenas um concurso de beleza, em que as modelos são avaliadas por no máximo duas horas. A personalidade, a ética, o jeito como a menina encara os desafios, as provas e as situações durante a semana são tão importantes quanto o resultado das fotos que avaliamos.

Na temporada anterior, você ficou conhecida como a “durona”. Qual impressão as candidatas terão a seu respeito dessa vez?
Continuo bastante crítica e exigente, e falando sempre a verdade, ainda que com cortesia e educação, claro! Mas confesso que estou me deixando envolver mais com as meninas, gostando mais delas como pessoas, estou vendo bastante o lado humano delas. Por outro lado, tenho a dizer que meus colegas Dudu Bertholini e Duda Molinos são tão duros quanto eu! Brincamos que Duda Molinos distribui para a gente uma tal “pílula da sinceridade” que não deixa pedra sobre pedra!!!

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS