- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







The Odd Couple
Mauro Ferreira

Fotos: DIVULGAÇÃO
O produtor Danger Mouse e o cantor Cee-Lo Green

EM 2006, o mundo pop incensou a dupla Gnarls Barkley por conta de um arrasador primeiro álbum, St. Elsewhere, em que o produtor Danger Mouse e o cantor Cee-Lo Green uniram batidas contemporâneas ao soul com um toque de psicodelia à moda dos anos 60. O CD rendeu um megahit, “Crazy”, exemplo mais bem-acabado da química explosiva do duo. Daí a expectativa depositada no novo álbum da dupla, The Odd Couple, recém-lançado no Brasil pela Warner Music. Pois Cee-Lo e Mouse não decepcionam e apresentam um segundo disco à altura da expectativa.

Desta vez, a dose de psicodelia é menor. Mas o caldeirão de referências da música black continua em ponto de fervura e oferece munição para esquentar as pistas com temas como “Run (I’m a Natural Disaster)”, “Going on” e “Charity Case” – para citar somente as faixas de maior destaque no coeso repertório. A novidade é uma dose maior de melancolia, perceptível nas músicas menos aceleradas como “Who’s Gonna Save my Soul?”. Outro trunfo, “Surprise” tem vocais que remetem ao som do grupo The Mamas & The Papas, ícone dos anos 60. No todo, o duo Gnarls Barkley reedita a inspiração do primeiro álbum e justifica todo o oba-oba em torno de Danger Mouse, hoje um produtor requisitado por nomes como Beck.

Dupla Gnarls Barkley passa na prova do segundo disco com explosivo coquetel de música black


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff - Media Solutions