Televisão • Home• Revista 24/3/2008
GNT
Festa de debutante
O programa de debates Manhattan Connection comemora 15 anos

(A.P.)

Envie esta matéria para um amigo
Lúcia Guimarães, Ricardo Amorim, Lucas Mendes e Caio Blinder na bancada do estúdio em Nova York

Exibido pelo GNT, o Manhattan Connection é atualmente o programa mais antigo no ar na tevê paga brasileira: acaba de completar 15 anos. Mas não sem alguns intervalos. Um deles foi em fevereiro de 1997, quando Paulo Francis, que fazia parte do programa desde a estréia, morreu. A atração ficou um mês fora do ar e voltou com convidados especiais a cada edição, até que Arnaldo Jabor assumiu o posto, em 1997, deixando-o somente em 2003. No total, cerca de 200 pessoas passaram pela bancada como convidados.

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

Durante todo esse período, apenas Lucas Mendes, também idealizador do programa, e Caio Blinder estiveram sempre presentes no cenário montado no estúdio de Nova York. No total, foram seis trocas de apresentadores e, atualmente, Lúcia Guimarães, Ricardo Amorim e Diogo Mainardi (baseado em São Paulo) completam o quinteto. Depois de 733 edições, incluindo a comemorativa, que foi gravada especialmente no Brasil, Blinder diz que nunca houve um momento de saia-justa. “Caso contrário, não daria para agüentar ou sobreviver 15 anos”, acredita ele, que aponta o 11 de setembro de 2001 como o acontecimento mais marcante já discutido por eles. Naquele mês, o MC ganhou edições ao vivo para tratar do assunto.

Na bancada, os temas preferidos para o debate são eleições americanas, economia mundial e cultura. Blinder diz que não há um assunto mais complicado de ser abordado ou melhor para ser debatido. “O mais difícil é ser contra quem é antiamericano sem parecer um patriota bobo, pró-americano”, avalia ele, que gostaria de entrevistar Barack Obama, candidato democrata à presidência dos Estados Unidos. “Para confirmar se ele é toda aquela prosa.”