Música • Home• Revista 24/3/2008
MPB
O Brasil dos gringos
(M.F.)

Envie esta matéria para um amigo
Sergio Mendes repete fórmula e faz miscelânea tropical em Encanto

Sergio Mendes parecia carta fora do jogo fonográfico quando, em 2006, recorreu ao líder do grupo Black Eyed Peas, will.i.am, para misturar rap e música brasileira. O CD Timeless deu tão certo que Mendes repete a fórmula em Encanto, recém-lançado nos EUA com chegada prevista ao Brasil em abril. Como faz desde os anos 60, o artista traduz o suingue e a bossa da música nacional para os gringos numa miscelânea tropical. Eis algumas faixas:

ODO-Y A Sobre batucada afro-brasileira, Carlinhos Brown faz discurso politizado ao cantar em português os versos de sua música. O baiano também é autor de “Funky Bahia”, parceria com will.i.am.

LUGAR COMUM As vocalistas do conjunto de Mendes entoam em português a letra da parceria de João Donato com Gilberto Gil enquanto o rapper italiano Jovanotti faz discurso na sua língua natal.

ÁGUA DE BEBER O clássico de Tom Jobim ganha adição dos versos do rapper will.i.am, que também interveio na produção de “The Look of Love” (tema de Burt Bacharach e Hal David que ganhou os vocais de Fergie) e de “Acode”, música de Vanessa da Mata ouvida na voz da própria autora.

MORNING IN RIO Mendes simula um clima carioca neste samba de Toninho Horta. É samba para gringo. Quase na mesma linha, uma cuíca ronda ao fundo na canção “Catavento e Girassol”, de Guinga e Aldir Blanc.

SOMEWHERE IN THE HILLS A versão em inglês de “O Morro Não Tem Vez” conta com o vocal de Natalie Cole. É bossa à moda estrangeira. Igual à versão em inglês de “Águas de Março”, empobrecida com o baticum tropical que permeia o disco.

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia