Cinema • Home• Revista 17/3/2008
ANIMAÇÃO
Dr. Seuss na telona
Conto Horton e o Mundo dos Quem!, do autor de clássicos infantis, ganha adaptação

Envie esta matéria para um amigo
Fotos: DIVULGAÇÃO
O elefante Horton tenta ajudar a seres microscópicos que vivem num grão de poeira

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

Sobrou para Jimmy Hayward, de 36 anos, a tarefa de dirigir mais um hit de animação da Blue Sky Studios. Depois de A Era do Gelo (2002), que arrecadou mundialmente US$ 383 milhões, e da continuação, lançada em 2006 e responsável pela bilheteria de US$ 651 milhões ao redor do globo, a companhia quer repetir o sucesso com Horton e o Mundo dos Quem!. “Sinto grande pressão sobre meus ombros’’, disse Hayward, que estréia na cadeira de diretor ao adaptar esse conto imaginativo de Dr. Seuss –conhecido pelas obras infantis Como o Grinch Roubou o Natal e O Gatola da Cartola.

Antes de contar a história de Horton, o simpático elefante que ajuda seres microscópicos que vivem num grão de poeira, Hayward foi animador de produções da Pixar, como Toy Story (1995), Monstros S.A. (2001) e Procurando Nemo (2003). “O que mais me encanta é que absolutamente tudo é possível no universo da animação. Tudo o que se pode imaginar, sem se preocupar com as leis da gravidade ou da física.”

Uma das seqüências mais desafiadoras do novo longa foi criar um interminável campo de dentes-de-leão, onde Horton perde a comunidade da Quemlândia. “Isso significou fazer meio milhão de flores de dente-deleão, com mais de 800 mil apêndices em cada um.” O que torna a Blue Sky Studios única, na visão de Hayward, é a liberdade do time de criação. “Por sermos uma companhia bem menor que as concorrentes (como Pixar, Disney e Dreamworks), não ficamos presos a um estilo específico. Nossos filmes têm visual totalmente diferente um do outro.” Elaine Guerini