Moda • Home• Revista 17/3/2008
Xadrez
Presente na coleção dos principais nomes da moda, a clássica padronagem promete ser o hit da temporada do inverno 2008

Texto Bianca Zaramella

Envie esta matéria para um amigo
O outono/inverno da Cavalera apresentou uma releitura do xadrez em cores fortes como azul e rosa
O xadrez foi criado na Escócia no século 19, mas só ficou conhecido na alta-costura na década de 20 pelas mãos de Coco Chanel, que transformou a padronagem em um clássico de sua maison. Desde então, o desenho geométrico virou uma referência no guarda-roupa de inverno. Em 2008, a estampa volta com força. Desta vez, não se restringe à tradicional combinação de cores e aparece em tons modernos como roxo, azul turquesa, rosa e amarelo. Na última temporada de moda, a padronagem mais freqüente era o tartan – quadriculado com padrões de linhas diferentes e cores levemente distintas –, no melhor estilo escocês, como mostrou em Milão a grife D&G. Nas semanas brasileiras, o xadrez esteve presente nas passarelas de Samuel Cirnansck, Ellus, Huis Clos e Alexandre Herchcovitch. Marcelo Sommer, da grife Do Estilista e diretor criativo da Cavalera, apresentou uma versão arrojada da clássica estampa nas duas coleções. “Sempre usei xadrez. Acho que é clássico e atemporal”, diz ele. Para Sommer, o uso das novas tecnologias possibilita modernizar o quadriculado com novas cores e efeitos ópticos. “Criei várias padronagens diferentes com a minha equipe e conseguimos deixá-lo mais moderno”, explica.

 

 

 


QUADRICULADO

A grife Huis Clos (1) apostou no clássico preto e branco para a coleção inspirada no universo College. O estilista Samuel Cirnansk (2) misturou vários tipos de xadrez para vestidos de patchwork. A Ellus (3) resgatou a camisa que fez história no início dos anos 90. Marcelo Sommer criou novas padronagens para sua coleção da grife Do Estilista (4). Em Milão, o xadrez foi hit da D&G (5)