Teatro • Home• Revista 17/3/2008
MUSICAL
West Side Story
Adaptação caprichada de um dos espetáculos mais famosos da Broadway está em cartaz

Marina Monzillo

Bianca Tadini e Fred Silveira interpretam Maria e Tony

Baseado numa das maiores tragédias já escritas - a história de Romeu e Julieta -, este é um espetáculo denso e pesado, que não termina, por exemplo, com um número grandioso e apogístico, West Side Story é um musical diferente.

Grande parte das coreografias simulam lutas corporais entre as gangues dos Jets, formada por americanos suburbanos de Nova York, e dos Sharks, composta de imigrantes porto-riquenhos.

Os dois grupos, impregnados de preconceito e marginalidade, brigam pelo poder nas ruas de Manhattan nos anos 50. A tensão aumenta quando Tony, um ex-membro e fundador dos Jets, se apaixona por Maria, irmã de Bernardo, principal líder do Sharks.

West Side Story é uma das mais famosas e premiadas peças da Broadway e foi traduzida para mais de 15 idiomas. Também rendeu o filme Amor Sublime Amor (1961), ganhador de dez Oscar. A versão brasileira ficou por conta de Claudio Botelho, e a direção, de responsabilidade de Jorge Takla, ambos experientes e competentes na adaptação de musicais.

Duetos românticos e canções dançantes colorem, animam e, por conseqüência, equilibram o espetáculo, que tem cenários, figurinos e arranjos musicais caprichados. O elenco, jovem, possui a apuração vocal necessária e dança com vigor e técnica - destaque para o canto de Fred Silveira, que interpreta Tony -, mas peca nos momentos de interpretação não-cantada. A maioria soa exagerada, caricata demais, e compromete parcialmente a emoção que a história deveria causar.

Teatro Alfa: r. Bento Branco de Andrade Filho, 722,
São Paulo, tel: (11) 5693-4000. Até julho/08.

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia